quarta-feira, 7 de setembro de 2016

RESENHA: Destinos e Fúrias

“— Mas ela mentiu — insistiu ele.
— Fala sério. Casamento é feito de mentiras. Bondosas, em geral. Omissões. Se disséssemos em voz alta as coisas que pensamos todo dia sobre nosso cônjuge, acabaríamos esmagando a pessoa até virar pasta. Ela nunca mentiu. Simplesmente nunca contou.” (GROFF, 2016, p. 193)

***

Quando li a sinopse de Destinos e Fúrias, achei a premissa muito interessante. Porém, quando li a prova do livro disponibilizada no site da editora, o texto me pareceu meio sem graça. Mas considerando a quantidade de elogios que o livro de Lauren Groff recebeu da crítica literária, decidi que a obra merecia uma chance. 

Lotto e Mathilde se conheceram na faculdade e, pouco tempo depois, casaram em um ato impulsivo, mas também apaixonado. Mas o início da vida adulta, agora recém formados e casados, não foi tão fácil quanto esperavam. Apesar dos fracassos e até mesmo da falta de fé dos amigos, o casamento dos dois não se abala com as dificuldades. Anos depois e com carreiras consolidadas, Lotto e Mathilde são o perfeito retrato da felicidade conjugal. Mas todo relacionamento tem seus segredos. 

O livro é dividido em duas partes: na primeira, conhecemos Lotto desde seu nascimento, acompanhando sua trajetória até o momento em que se apaixona por Mathilde e vemos os vinte e quatro anos de casamento por seu ponto de vista. E é impressionante a forma como Lauren Groff consegue transmitir a essência do personagem com tão poucas palavras e fazendo grandes saltos temporais. 

Já na segunda parte do livro acompanhamos a continuação da estória pelo ponto de vista de Mathilde, bem como a sua própria estória na forma de flashbacks em capítulos alternados. E este certamente é o ponto alto do livro: ver como o olhar de Lotto era tendencioso, como havia fatos que ele preferia não ver ou então os interpretava de forma diferente. Mathilde prova que toda estória tem dois lados e que ambos são parciais. 

Apesar de ser interessantíssimo ver estas duas perspectivas de um mesmo relacionamento, admito que esperava mais do livro. A estória de Destinos e Fúrias é bastante orgânica e natural, e não seria difícil imaginar como sendo algo que poderia acontecer no mundo real. O problema é que faltaram reviravoltas para apimentar a trama e, infelizmente, Groff inseriu elementos que me pareceram retirados de dramalhões mexicanos para alcançar este objetivo. 

Creio que a estória realmente precisava de um tempero a mais, algo que motivasse o leitor a continuar a leitura, não se centrando apenas nos altos e baixos do relacionamento dos protagonistas. Mas a partir do momento que Groff acrescenta reviravoltas de qualidade duvidosa, a estória passa a soar forçada, ainda mais por destoar tanto do restante da obra, que manteve a verossimilhança.

Encerro reconhecendo que Groff criou personagens incríveis e que sua narrativa impressiona por deixar muitas informações nas entrelinhas. Mas a execução da premissa deixa a desejar, especialmente no final. Embora esteja longe de ser um livro ruim, também está longe de ser um “triunfo” como descreveu o jornal The Washinton Post. 

Título: Destinos e Fúrias (exemplar cedido pela editora)
Autora: Lauren Groff
N.º de páginas: 365
Editora: Intrínseca

21 comentários:

Art Of Life and Books disse...

Interessante a história, mas concordo com você que um bom livro precisa ter reviravoltas, assim ele ficará mais interessante.
Te seguindo como Art of life and Art of life and books books.

Lapso de Leitura disse...

Oi, Alê, tudo bom?
Achei bem interessante a premissa do livro. Já o ouvira falar dele no snapchat da intrínseca e fiquei meio dividido se eu havia gostado ou não.
É uma pena que você não tenha achado o livro tudo isso, mas pelo menos ele não é ruim :)
Abraços!

-Ricardo, Blog Lapso de Leitura

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Quando vi que ia sair esse livro aqui, eu fiquei com pé atrás com eles. Eu li umas reviews um pouco negativa sobre a história.
Beijos
Balaio de Babados
Participe da promoção de aniversário do Balaio de Babados e Postando Trechos
Participe da promoção 1 Ano de Estilhaçando Livros

Eduarda Rozemberg disse...

Bom, sendo um romance, acho que o foco seria mesmo os altos e baixos do relacionamento dos dois, isso eu acho mais entendível. Gostei do fato de não alternar o ponto de visto ao longo do livro inteiro, e sim dividir em duas partes. A narrativa parece ser bem criativa e envolta de vários dramas, e mesmo você tendo esperado mais do livro, acho que seria uma leitura que me agradaria bastante.
Um abraço!

http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

Adriana Holanda Tavares disse...

Olha sendo o mais sincera possível pelo que eu entendi o livro parte da premissa que tudo tem no mínimo dois lados, mas não consegui entender direitinho qual é o tema inicial do livro, ou são apenas umas memórias de um relacionamento que não deu certo e que durou demais? Bom, no mais acho que eu esperei mais também do livro!

Em comum disse...

Primeira vez que vejo algo sobre esse livro, parece aquele tipo com uma história contemporânea que pode fazer você amar ou simplesmente detestar! Eu daria uma chance a esse livro!
Gostei muito da sua resenha, super honesta!

Beijos
Dani Cruz
blogemcomum.com.br
Twitter - @blogemcomum / Insta - @blogemcomum / Fanpage Em Comum

Blog Literário disse...

PARECE SER UMA BOA HISTÓRIA, SÓ QUE VAI TER UM "MAS". SÓ LENDO PARA TIRAR CONCLUSÕES. BJOS!

BLOG LITERÁRIO 2

Caverna Literária disse...

Eu esperava mais desse livro também pela sinopse, e de fato faltou alguma coisa :( pareceu algo muito básico e até entediante. Uma pena!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Gabriela CZ disse...

Agora fiquei mais dividida ainda, Alê. Também achei a premissa interessante, mas meu receio era de que fosse meio clichê devido ao número de livro com essa temática conjugal que vem saindo. E vejo não estar totalmente errada, já que você mencionou que algumas coisas parecem saídas de um dramalhão mexicano. Mas fiquei interessada pela construção dos personagens, então não descarto a leitura totalmente. Ótima resenha.

Beijos!

Alice Duarte disse...

Oiii Alê

A capa desse livro é simplesmente maravilhosa, porém, a história mesmo parece ter ficado sem "algo", aquela coisinha à mais que faz a leitura fluir ser ótima. Por enquanto, não é o tipo de livro que busco, então vou deixar essa dica passar.
Resenha está perfeita!

Beijos

unbloglitteraire.blogspot.com.ar

Ariane Reis. disse...

Oie Alê =)

Confesso que não tinha prestado atenção nesse livro quando ele saiu, mas agora depois de ler a sua resenha estou arrependida. A história parece ser bem envolvente e daquelas que consegue nos surpreender.

Mas uma dica sua que anoto ;)


Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Carol Espilotro, disse...

Oii. Tudo bom?
Eu achei bacana a ideia do livro ser dividido dessa forma, mas não é nem de longe um tipo de história que vai me deixar intrigada o suficiente para ler :/ Na real, talvez seja minha chatice, mas sempre que um livro é muito adorado nas criticas costumo não gostar >.> Triste que faltou aquele Q a mais

bjs, Carol | Espilotríssimo
http://carolespilotro.com

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Ale.
A trama realmente parece ser bem orgânica, bem verossimilhante. Porém, uma pena essa falta de tempero e principalmente os elementos no melhor estilo dramalhão mexicano.
Por ser apenas um livro mediano, apesar de um bom autor, passo a leitura. A meta já está bem extensa.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de setembro. Serão três vencedores, cada um ganhando dois livros.

Márcia Saltão disse...

Olá!
É a primeira vez que leio uma resenha a respeito desse livro. A premissa não me chama a atenção, mesmo porque não sou muito fã desse gênero. E depois de sues comentários, não fiquei animada para conhecer o livro. No momento não pretendo ler, quem sabe um dia. Ótima resenha, bem explicada e sincera. Beijos.

Leandro de Lira disse...

Oi, Alê!
Eu talvez goste do livro porque adoro dramas e adoro mais quando o autor ou autora sabem desenvolver/construir personagens marcantes. Não conhecia o livro, mas fiquei tentado a lê-lo mesmo com suas ressalvas. Realmente, é sempre bom ter alguma reviravolta, algo que nos instigue.
E que pena que o final poderia ter sido melhor. Recentemente, vivi o mesmo com outro livro.
Abraço!

"Palavras ao Vento..."
www.leandro-de-lira.blogspot.com

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Alê!

A premissa não me interessou muito, confesso. E bem, às vezes a crítica literária ama livros que eu simplesmente acho sem graça, acontece e com muita frequência rsrsrsrsrs

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

RUDYNALVA disse...

Alê!
Talvez por ser um livro que poderia acontecer na vida real é que tenha tantos elogios, porque as pessoas se identificam com os protagonistas e com a história desenvolvida.
Gosto de livros que mesclam passado e presente.
“Demore na dúvida...E descubra a sabedoria que insiste em se esconder na ausência de palavras.”(Padre Fábio de Melo)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

Thalita Branco disse...

Olá Alê!
Que pena que ele não agradou. Não acho que um livro precise de 100 reviravoltas igausi aos do Harlan Coben, mas tem que ter alguma coisinha para sair da monotonia.
Bjs

EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do DIA DO HOBBIT

Andrea Barbosa disse...

OI..
Nao gostei muito da premissa do livro,nao me atraiu principalmente por nao gostar de novelas mexicanas e tendo algo parecido com dramlhao mexicano eu nao encaro..muito boa resenha..
Um abraço e muito sucesso :)

Lais Rodrigues disse...

Olá!
Então.... eu não curto nem um pouco ler sobre romance. São raros os livros de romance que me cativam!
Por mais que seja diferenciado, pois mostra a perspectiva de ambos... eu não me interessei.
Obrigada pela resenha!!!!!

Ana I. J. Mercury disse...

Li uns comentários bem positivos sobre ele, mas confesso que não me chamou atenção.
Apesar de gostar muito de ler sobre casamentos, vida familiar, enfim, acho que foge bem da narrativa que curto e estou mais acostumada, rs
js

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger