sábado, 8 de outubro de 2016

RESENHA: A Guerra dos Mundos

“Mas, antes de os julgarmos com muita severidade, lembremos a destruição cruel e completa que nossa própria espécie impôs não só a animais, como os extintos bisões e dodôs, mas a suas próprias raças menores. Os tasmanianos, apesar da aparência humana, foram inteiramente dizimados numa guerra de extermínio promovida por imigrantes europeus no espaço de cinquenta anos. Será que somos realmente apóstolos da tolerância para nos queixarmos, quando os marcianos nos combaterem com a mesma mentalidade?” (WELLS, 2016, p. 47/48). 

***

Sempre tive curiosidade de ler algum livro de H. G. Wells — um dos maiores nomes da ficção científica —, sobretudo, A Guerra dos Mundos, sua obra mais aclamada e que serviu de inspiração e influência a inúmeros escritores e roteiristas. 

Tudo começa quando um estranho cilindro é encontrado na pequena cidade de Woking. Os curiosos logo se aglomeram ao redor do objeto, sem imaginar que marcianos estão em seu interior e se preparando para atacar. Mais cilindros chegam à Terra e em pouco tempo os marcianos começam a dizimar a Inglaterra com objetivo de dominar nosso planeta. 

A narrativa é feita em primeira pessoa, por um protagonista que sequer sabemos o nome, o que reforça a ideia de que o enfoque da estória é a invasão marciana. Entretanto, Wells apresenta um texto extremamente descritivo, não obedecendo à regra “show, don’t tell” (mostre, não conte). Assim, a obra que tinha tudo para ser empolgante se torna monótona, pois o leitor acompanha um relato detalhista dos fatos ao invés de ser tragado para o meio da ação. 

Outro fator que contribuiu para o distanciamento do leitor é a ausência de personagens com quem se conectar. O protagonista-narrador é apenas uma câmera registrando os fatos, sendo que o autor pouco explora seu lado humano, suas emoções e seus dramas. Suas reações à invasão não passam do “lugar comum” esperado de qualquer pessoa que estivesse em seu lugar. 

A trama é linear e não conta com reviravoltas. Fica claro que a ideia de Wells era simplesmente mostrar como os marcianos chegaram à Terra, seus planos de dominação e o embate com os humanos. O desfecho não empolga e deixa a sensação de resolução simples para uma situação complexa. . 

O lado positivo são as severas críticas do autor acerca da violência humana e das inúmeras guerras que travamos. Se não conseguimos entender uns aos outros e precisamos argumentar através da força, por que deveríamos esperar um tratamento melhor de possíveis alienígenas? Neste aspecto, A Guerra dos Mundos continua mais atual do que nunca. 

Apesar da premissa interessante, preciso admitir que a leitura de A Guerra dos Mundos foi um pouco decepcionante. Entretanto, considerando que o livro foi lançado em 1898, é preciso reconhecer a criatividade e originalidade do autor, bem como o impacto que sua obra continua causando após todo este tempo. 

A nova edição do livro, lançada pela Suma de Letras, é item obrigatório nas coleções dos fãs do autor, contando com capa dura, ilustrações e material extra. 

Título: A Guerra dos Mundos (exemplar cedido pela editora)
Autor: H. G. Wells
N.º de páginas: 296
Editora: Suma de Letras

23 comentários:

Marília Leocádio disse...

Eu sempre fui bem curiosa em relação a esses temas sempre assistindo a filmes relacionados, mas livros eu nunca tinha visto nenhum embora não tenha procurado, gostei como esse aborda esse problema, pela maneira que o autor escreveu esse livro certamente foi pensado em se tornar um filme eu acredito que será muito bom.
Até mais

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Eu até queria ler esse livro, mas essa narração monótona me desanimou um pouco.
Beijos
Balaio de Babados
Participe da promoção 5 Anos de Além da Contracapa
Participe da promoção Halloween Literário

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Alê

Eu tenho muita vontade de ler o livro, mas acho que agora vou alinhar minhas expectativas em relação a narrativa!

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Márcia Saltão disse...

Olá.
Mesmo com alguns pontos negativos da obra, quero muito ler. A capa está linda! E a premissa me conquistou desde que começou a divulgação. Adoro esse tema. Ótima resenha. Beijos.

RUDYNALVA disse...

Alê!
Por coincidência assisti hoje na TV (canal fechado) o filme baseado no livro, mas é totalmente diferente do livro, porque tem personagens bem definidos e muito desespero.
Não li o livro ainda, embora goste do autor e ame ficção.
“Buscamos, no outro, não a sabedoria do conselho, mas o silêncio da escuta; não a solidez do músculo, mas o colo que acolhe.” (Rubem Alves)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

Cristiane Dornelas disse...

É um livro bem antigo heim? E acho que pelo tempo a ideia dele até que está bem...atual, talvez. É bacana de crítica mesmo, sempre vejo falando mais disso e do que ele tentou mostrar ali ao falar dessa guerra. Se nós mesmos fazemos tanta barbaridade conosco, porque pensar que outro ser não faria algo semelhante né?!
Acho que gostaria de ler. E é por ver tanta gente falando do livro e desse autor. Nunca li nada dele...
Se seria decepcionante não sei, mas é interessante pra mim.
Uma pena não ter gostado tanto =/

Vanessa Sueroz disse...

Oie,
nossa é antigo e eu não conhecia,achei bem legal a premissa, mas não é muito a minha cara rsrsrsrs

bjos
Blog Vanessa Sueroz

-Lunii † disse...

Olá, tudo bom?
Cara, eu tinha adicionado esse livro como próxima leitura no skoob, mas estava com muito medo dele ser arrastado. Era um livro que eu provavelmente iria ler em pdf e para mim, livros mais longos ou arrastados não vale a pena nem baixar.
Que pena, eu realmente me interessei pelo livro, agora nem quero mais :(

Sessão Proibida

Miriã Mikaely disse...

Olá, Alê. Imagino o quanto uma leitura desse tempo tenha se tornado insatisfatória. Eu não gosto muito de livros com ficção científica, então dificilmente leria, mais o fato de não ter personagens com que acabamos não nos conectando, é mais difícil ainda gostar de uma trama assim.
Abraço.
Leitora Encantada

Lapso de Leitura disse...

Oi Alê! Tudo bem?
Caramba! Fiquei de queixo caído quando li que o livro é do século XIX! Não imaginava que ele seria tão antigo assim!
Assisti ao filme quando bem mais jovem e me lembro de não ter gostado tanto assim. Uma pena que o livro não seja tão envolvente, pois tem a premissa de ser tudo de bom.
Abraços!

-Ricardo, Blog Lapso de Leitura

Nessa disse...

Oie
Tenho muita curiosidade para ler este livro, já li diversas resenhas sobre e tem um enredo muito bom. Pena que vc se decepcionou. Adorei sua resenha.

Beijinhos
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Alê.
Já conferi a obra a obra. Realmente, se formos comparar com alguns livros atuais, Guerra dos Mundos é um tanto decepcionante, tanto em questão de construção do enredo quanto no sentido de aproximação dos personagens. Contudo, se olharmos para a época que o livro foi escrito, sem dúvidas ele merece todo o destaque.
Pelo sim e pelo não, vale a leitura.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de outro. Serão dois vencedores, dividindo 5 livros.

Adriana Holanda Tavares disse...

Oi!
Ainda não assistir ao filme nem li esse livro, mas sempre tive muito curiosidade em ler algo do H.G. Wells, achei essa historia muito interessante e para o contexto histórico dela com certeza fascinante e inovadora, estou bem curiosa para pode ler, gosto muito de ficção científica e achei interessante como temos um livro bem descritivo mas que não fica massante !!

Gabriela CZ disse...

Preciso dizer que "murchei" com seus comentários, Alê. Queria muito ler esse livro, mas suas o que disse sobre o excesso de descrições e o fato de não ter um personagem por quem se apegar me decepciona. Mas ainda fico curiosa sobre as críticas do autor, então talvez eu leia. Ótima resenha.

Beijos!

Lilian Huzyk disse...

Não me animei com a sinopse e o fato de não ter um clímax, parece meio cansativo. Sua resenha ficou ótima, adorei sua sinceridade!

http://www.leitorasvorazes.com.br/

Tony Lucas disse...

Oi, Alê! Tudo bem? Cara, nossa opinião coincidiu em vários pontos. Também achei a leitura do livro bem monótona, e quase dormi em alguns momentos rs Mas mesmo assim, gostei. E essa edição está perfeita, né? <3

Abraço

https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

Tô pensando em Ler disse...

Bom, de qualquer maneira, acabei de comprar o livro e quero muito ler.
Talvez essa narrativa monótona não me incomode tanto, ou talvez sim... só lendo pra saber, rs.
Amei a resenha!!

Bjks


Lelê

Luiz Paulo Nunes disse...

Oi Alê!
E comentar que já assisti a adaptação Spielberg com o Cruise conta?
Não sei em questão nde adaptação, mas em trmos de filme ele é ok, mas o final eu achei meio corrido e bem chato na verdade. De repente os ets começam a morrer e só na narração final falam das bacterias, aposto que no livro isso foi melhor trabalhado, mas sei lá, até que foi divertidinho...
bjos LP
http://quatroselos.blogspot.com.br/

Ler para Divertir disse...

Oi Alê
Acho que vi o filme, mas agora fiquei na dúvida pois a resenha é bem diferente do filme. Eu fiquei incomodada com os pontos negativos, acredito que não vou ler este livro, mas assim como você tenho curiosidade em ler algo deste autor.
abraços
Gisela
www.lerparadivertir.com

Eduarda Rozemberg disse...

Mesmo os clássicos tem seus pontos positivos e negativos, não é? Confesso que não gosto muito de livros onde eu não me apego com algum personagem, e o fato de o narrador se mostrar apenas uma camera me desanimou um pouco. Como sempre, uma ótima resenha.
Um abraço!

http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

Stephany Santim disse...

Oi Alê!
Sempre tinha lido resenhas positivas sobre o livro. Confesso que me desapontei um pouco mas ainda vou tentar dar uma chance, quem sabe né. Ótima resenha! Beijos!

Fernanda Mendonça disse...

Eu já li algum livro do Wells, mas não tenho certeza do titulo. O Médico e o Monstro é dele? ahahhaa Enfim, Esse em si eu ainda não li e apesar de eu ter ouvido bastante sobre esse distanciamento e tal, mas mesmo assim eu desejomuito esse livro.Muito.

Ana I. J. Mercury disse...

Eu já tinha ouvido falar bastante do livro e do autor, mas essa é a primeira resenha que leio, e confesso que não curti muito a história do livro, é bem diferente do que estou acostuma, e pelo jeito não é muito cativante, rs
bjs

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger