domingo, 26 de março de 2017

RESENHA: Eu estou pensando em acabar com tudo

“Nós não podemos e não sabemos o que os outros estão pensando. Não podemos e não sabemos que motivações as pessoas têm para fazer as coisas que fazem. Nunca. Não totalmente. Essa era a minha aterrorizante epifania da juventude. Nós nunca conhecemos realmente alguém. Eu não conheço. Nem você.” (REID, 2017, p. 186)

Quando expressões como ”narrativa profundamente psicológica” e “thriller minimalista” são usadas para descrever um livro, é certo que eu vou me interessar em lê-lo.

Narrado em primeira pessoa por uma personagem cujo nome não sabemos, “Eu estou pensando em acabar com tudo” nos leva em uma jornada estranhamente angustiante porque não conseguimos detectar de onde vem o desconforto que sentimos. A narrativa é extremamente interessante e, sem dúvida nenhuma, o grande mérito do livro. Não é exatamente o que ela conta (inclusive porque não há muita história sendo desenvolvida), mas o que está nas suas entrelinhas, as sensações que ela consegue provocar no leitor. A contracapa diz: “Você sentirá medo. Mas não saberá dizer por quê...”. Eu não sei se chegaria a usar a palavra medo, mas concordo com a afirmação, aliás, arrisco dizer que ela é tudo que você precisa saber sobre “Eu estou pensando em acabar com tudo”. O resto é experiência de leitura.

A trama se resume a uma viagem de carro, na qual Jake, o namorado da narradora, a leva conhecer os pais dele. Enquanto isso, estamos dentro da mente dela, relembrando momentos que os dois viveram juntos - como se conheceram, as longas conversas que tiveram - e também acompanhando os seus pensamentos de terminar o relacionamento, algo que Jake não tem a menor ideia que ela cogite. Talvez o tal desconforto venha disso: sentimos que a personagem não quer estar ali, mas, por outro lado, ela insiste em nos contar os motivos que a levam a se sentir atraída por Jake e quer nos convencer da conexão que existe entre eles, enquanto tudo que testemunhamos é um relacionamento morno.

Ocupando também os pensamentos da mulher está uma série de ligações e mensagens telefônicas que ela tem recebido nos últimos tempos de um homem que nunca se identifica e sempre deixa a mesma misteriosa mensagem.

Os capítulos da viagem se intercalam ainda com outros que fazem referência a um episódio trágico, protagonizado por um personagem que não sabemos quem é nem qual seria sua relação com a Jake e a narradora.

A narrativa vertiginosa me fisgou já na primeira página, mas eu sentia que faltava algo. A verdade era que eu não me importava com nenhum dos personagens e sentia que estava em meio a um livro sem história, mas de alguma forma me via quase hipnotizada lendo. Porém, quando me aproximei da metade do livro, comecei a elaborar uma teoria e, a partir disso, passei a ler com outros olhos, atenta a qualquer indício que pudesse comprovar que eu estava certa. Quanto mais eu lia, mais eu percebia o quão bem articulada era a narrativa de Iain Reid e o quanto ela conseguia preservar as surpresas e reviravoltas da história, enquanto dava todos os indícios para o leitor captar o que estava acontecendo. Quando cheguei ao final, descobri que a minha teoria estava certa e fiquei bastante satisfeita com o que encontrei, percebendo que até mesmo as coisas que me incomodavam faziam todo o sentido dentro da trama.

Não se pode falar muito de “Eu estou pensando em acabar com tudo” sem dar spoilers (justamente por isso, a edição física do livro não traz sinopse e sim apenas um trecho do primeiro capítulo). É um livro que você não lê pela história que ele conta e sim pela sensação que provoca enquanto você o lê (e que, em alguns momentos, me lembrava o ótimo “Um Bom Rapaz”). Pode surpreender muitos leitores, pode entediar outros tantos, mas vai agradar em cheio quem souber ler nas suas entrelinhas. Deixo essa resenha, propositalmente, sem muitos detalhes.

A Fábrica 231 merece elogios pela beleza dessa edição que ganhou capa dura, uma arte minimalista perfeitamente adequada à história e marca cada início de capítulo com uma página preta escrita em branco.

Título: Eu estou pensando em acabar com tudo
Autor: Iain Reid
N° de páginas: 222
Editora: Fábrica 231
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

20 comentários:

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Menina, te juro que, por esse título, eu achava que o personagem principal estava pensando em se matar. Olha as ideias hahahahhahah
Pelo que li da sua resenha, não sei se seria uma leitura proveitosa pra mim..
Beijos
Balaio de Babados
Sorteio Três Anos de Historiar

Marília Leocádio disse...

Adorei todas as resenhas que li a respeito do livro, é bem um quebe cabeças mas eu gosto de tentar juntar as peças e ter as minhas desconfianças, pretendo ler o livro em breve.
Até mais!!!

Click Literário disse...

Oi! Sua resenha me deixou na dúvida se compro para ler ou não. A história parece ser de um enredo bem interessante. Fiquei ansiosa para saber porque ela quer acabar com tudo. Bjos ❤

Click Literário

Gabriela CZ disse...

Esse é daqueles que já me deixam curiosa pelo título, e com seus comentários a respeito das sensações provocadas pela leitura realmente me interessei, Mari. Gosto de livros que provoquem esses sentimentos. Ótima resenha.

Beijos!

RUDYNALVA disse...

Mari!
Todo esse mistério me deixou mesmo bem intrigada e super curiosa para poder viver as emoções da leitura e acompanhar todo esse suspense e a sensação de temeridade que o livro traz.
Mistééééééério....
“Não basta conquistar a sabedoria, é preciso usá-la.” (Cícero)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Mari! Eu confesso que ainda estou na dúvida quanto a leitura, mas posso tentar e ver se consigo me conectar com os personagens, pq quando isso não acontece a leitura fica bem mais difícil...

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Ariane Reis. disse...

Oie Mari =)

Não conhecia o livro, mas pela sua resenha a trama dele me pareceu um tanto peculiar. Não sei se é o meu gênero de leitura, mas que fiquei curiosa, eu fiquei.

Beijos;***
Ane Reis | Blog My Dear Library.

Teca Machado disse...

Oi, Mari!
Eu vi uma resenha sobre esse livro esses dias e fiquei super curiosa.
Agora com a sua resenha, que falou sobre as reviravoltas e sua teoria, fiquei mais curiosa ainda!
Eu sempre digo que acho que o objetivo de um livro não é eu gostar ou não dele, mas de me fazer sentir.
E pelo jeito esse faz.

Beijooos

www.casosacasoselivros.com
www.livrosdateca.com

Somos Visíveis e Infinitos disse...

OI, tudo bem??
OMG, fiquei LOUCA PRA LER! Parece ser muito bom, ainda mais senos faz refletir desse jeito...
Beijos
www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=am6dsD2wNN8

Sil disse...

Olá, Mari.
Pensei que seria mais um livro que o personagem principal se mata hehe. Fiquei interessada para querer sentir tudo isso que você sentiu. Mas por outro lado não sei se gosto do foco do livro não ser a história. Mas quem sabe eu leia e termine amando hehe.

Prefácio

Naty Araújo disse...

Oi, Mari.
Acredito que só o nome do livro já faz a gente refletir em muitas coisas, me parecendo uma narrativa bem psicológica.
Fiquei curiosa para conhecer a história e ter o livro em mãos pelos detalhes e a capa dura (que adoro).

Beijos,
Naty
http://www.revelandosentimentos.com.br/

Priscila Tavares disse...

Oi Mari, eu fiquei curiosa quanto a esse livro desde a primeira resenha que li sobre ele. Como assim ela viaja pra ver os pais do cara se quer terminar tudo? E porque ela fica com essa sensação estranha que acredito, acaba sendo passada para o leitor também, e o que mais atiça minha curiosidade são esses telefonemas.
Já deu pra perceber que estou louca para ler né hahaha
Beijos
Quanto Mais Livros Melhor

Livros em Contexto disse...

Oiee!

Que resenha incrível!
Esse deve ser um daqueles livros que causam frenesi.
Fiquei super curiosa!

Um super beijo

Livros em Contexto

Girlene Viey disse...

Já cheguei amando, quando soube que existe narrativa psicológica, pois isso é simplesmente incrivel em livro desse genero.
Outra coisa que gostei bastante é o leitor não saber o nome do personagem que narra a historia, o que faz a gente criam uma serie de discussão do porquê é assim, o que autor pensou quando não quis colocar nome pra ele. Esse livro achei incrivel, parece que voce entrar dentro da mente da personagem literalmente. Sem duvidas fiquei bastante curiosa com essa obra, e o que poderei encontrar

Marta Izabel disse...

Oi, Mari!!
Adorei a resenha e claro que fiquei bem interessante em ler esse livro. Parece ser um daqueles livros que nos instiga a ler.
Beijoss

suzana cariri disse...

Oi!
Esse parece ser aquele tipo de livro que só entendemos depois de ler a historia, estou vendo resenhas falando que o livro incomodo, mesmo sem sabemos o porque e com certeza a historia parece ser bem vaga, mas ao mesmo tempo a curiosidade me deixou interessada em conhecer essa historia !!

Ana I. J. Mercury disse...

Parece muito bem escrito e cativante para quem gosta do gênero, mas achei meio confuso, como não estou acostumada com esse tipo de livro, acho que não lerei não, corro o risco de não entender bem kkkk é que leio muito livros românticos e fantásticos kkk
bjsss

Jônatas Amaral disse...

Simplesmente... UAU!
Que premissa é essa? eu realmente quase saí correndo para ver onde poderia encontrar o livro.
É raro vermos esse tipo de livro que vale pela sensação, que vale pela sua inteligência em te fazer pensar, teorizar.
Quero muito ler!

Jônatas Amaral
alma-critica.blogspot.com.br

Kemmy Oliveira disse...

A edição está mesmo linda! Mas não sabia que não tinha sinopse. Pelo jeito as coisas são meio enigmáticas mesmo.
É tenso quando não sentimos nada pelos personagens, mas que bom que a partir de certo ponto você teve essa sua teoria e viu o livro com outros olhos! Elaborar teorias sobre o que está acontecendo é importante.
Eu já queria ler, agora estou mais curiosa ainda!

Carolina Garcia disse...

Oi, Mari!!

Gostei muito da sua resenha. Não fazia ideia do que era esse livro ou do que esperar, mas gostei bastante.
Vou adicionar na minha lista com certeza!! :D

Bjs!!

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger