sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

RESENHA: Juntando os Pedaços

“As pessoas fazem merda por vários motivos. Às vezes, são simplesmente pessoas escrotas. Às vezes, outras pessoas fizeram merda com elas e, apesar de não perceberem, tratam os outros como foram tratadas. Às vezes fazem merda porque estão com medo. Às vezes escolhem fazer merda com os outros antes que façam merda com elas. É uma autodefesa de merda.” (NIVEN, 2016, p.74)

Em 2015, eu me apaixonei por “Por Lugares Incríveis”. A história de Violet e Finch me envolveu, cativou, emocionou e fez o livro merecer um lugar na minha lista de melhores leituras daquele ano. Desde então, eu tinha curiosidade de ler outro Young Adult de Jennifer Niven.

Não é fácil ser Libby Strout. Após a morte da mãe, a menina procurou alívio para o sofrimento na comida e chegou ao ponto de precisar ser retirada de casa por um guindaste, pois já não conseguia se deslocar de um cômodo ao outro. O vídeo do seu resgate teve milhares de acessos no Youtube o que a deixou conhecida como “A adolescente mais gorda dos Estados Unidos”. Agora, mesmo que seu processo de emagrecimento ainda esteja em andamento, ela está pronta para retornar ao colégio e é lá que ela vai conhecer Jack Masslin e descobrir que também não é nada fácil ser Jack Masslin. Aparentemente, Jack é um dos meninos populares. Circula entre todos os grupos, é simpático com todos, tem uma namorada linda, mas guarda um grande segredo: graças a uma condição chamada prosopagnosia, ele não consegue reconhecer rostos, nem mesmo dos seus pais. Por isso ele transita pelo colégio sendo legal com todos, mas sem se envolver profundamente com ninguém.

A mesma sensibilidade para criar personagens que Niven apresentou em “Por Lugares Incríveis”, aparece novamente em “Juntando os pedaços”. Tanto Libby quanto Jack vivem em condições extremas, afinal, é raro uma pessoa enfrentar tamanho grau de obesidade e também é raro um distúrbio como o de Jack, ainda assim os personagens soam verossímeis e nada caricatos. Libby é forte, confiante e segura de si. Ela sabe que merece ser bem tratada, sabe se posicionar e se defender, mesmo diante do inevitável bullying. Ainda assim, em nenhum momento ela deixa de ser uma típica adolescente, que quer conquistar garotos, entrar para o grupo de dança do colégio e fazer amizades. A personagem mostra que tudo bem fraquejar de vez em quando, mas que nenhum buraco é fundo demais e você sempre pode se reerguer.

Enquanto Libby não tem medo de se expor, Jack se esconde. Com medo de ser excluído, ele mesmo se exclui. Ele sabe que se revelar a sua condição (até mesmo para a família) as pessoas passarão a tratá-lo diferente, por isso ele encontra artifícios que o permitam sobreviver e conviver com as pessoas, sem que elas tenham ideia que, só de vê-las, ele não é capaz de saber quem elas são.

É claro que há uma mensagem por trás disso: não é o rosto que identifica uma pessoa porque não é assim que você a conhece. São os jeitos, os trejeitos, as opiniões, a maneira de falar, de se vestir, que as tornam quem elas são. O que o livro quer dizer é: não importa o que as pessoas digam, você merece ser visto do jeito que é e merece que gostem de você assim.

Não é difícil imaginar que haverá um romance entre os dois protagonistas, mas, apesar do clichê, o mérito de Niven é não tentar levantar a bandeira “como ele não via a aparência dela, ele se apaixonou pela personalidade”. Jack enxerga que Libby é gorda (tudo que ele não vê é o rosto dela) e isso não afeta o que ele sente. Como não vejo uma grande paixão entre os dois, acredito que relacionamento poderia ter permanecido na amizade.

A narrativa é dividida entre os dois pontos de vista, o que nos permite entender a fundo como os personagens lidam com as suas condições. O texto de Niven é fluido e a autora sabe abordar temas sérios com leveza, mas também conseguindo nos fazer sentir o que seus personagens sentem.

Mas, finalizando a leitura, percebo que “Juntando os pedaços” não deixa grandes marcas, apesar de ter sido uma leitura agradável. O livro apresenta bons personagens, a história é bem construída, a leitura conseguiu me manter interessada do início ao fim, mas falta brilho. Não há erros para serem apontados, mas também não há nada que o torne especial. Pode ser que eu tenha essa impressão simplesmente por ter gostado tanto de “Por Lugares Incríveis” e esperar uma história no mesmo nível de intensidade deste que se tornou um dos meus livros favoritos do gênero, então não deixe meu comentário desanimar você.

“Juntando os pedaços” confirma que Jennifer Niven busca escrever Young Adults que ajudem os adolescentes a aliviar os fardos que carregam, muitas vezes, sem que ninguém perceba. Confirma também que faz isso de maneira natural dentro da trama, jamais soando como se quisesse trabalhar um tema e então criasse uma história apenas para servir a ele. Mas, diferente de sua estreia no gênero, é apenas mais um Young Adult como qualquer outro.

Título: Juntando os pedaços (exemplar cedido pela editora)
Autora: Jennifer Niven
N° de páginas: 391
Editora: Seguinte

13 comentários:

RUDYNALVA disse...

Mari!
O livro está entre os meus desejados, porque gosto de leituras que mostram a superação de problemas e como já fui obesa, sei bem os preconceitos pelos quais Libby passa.
E a doença de Jake deve ser algo bem raro, já ouvi comentários por aí que Brad Pitt tem essa mesma doença, mas não sei não se acredito...
O bom é vê-los enfrentar, cada u a seu modo, seus problemas e ainda descobrirem o amor.
“O saber é saber que nada se sabe. Este é a definição do verdadeiro conhecimento.” (Confúcio)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

Marta Izabel disse...

Oi, Mari!!
Esse livro foi uma das minhas últimas leituras do final do ano passado. Foi uma leitura tranquila e também gostosa de fazer. Gostei muito da Libby e do Jack e nunca na minha vida tinha ouvido falar dessa doença prosopagnosia!!
Beijoss

Nessa disse...

Oi Mari
Não li nada da autora, mas não sabia do enredo do livro e lendo sua resenha agora fiquei mega curiosa, acho que nunca li nada parecido ou com o tema obesidade. Fiquei com vontade de ler.

Beijinhos
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

Sil disse...

Olá, Mari.
Eu amei Por Lugares Incríveis e quero muito ler esse livro. É uma pena que o livro não te marcou como o anterior, mas ainda assim estou bastante curiosa com ele. Nunca tinha visto essa doença dele e achei legal a autora aproveitar para abordar o assunto ver além da aparência. Assim que der eu vou ler ele.

Prefácio

Leitora Cretina / Mônica disse...

Olá!!
Sempre vejo comentários sobre o livro mas nunca tinha parado para ler algo a respeito e estou bem surpresa. Adorei a premissa! Gosto muito de histórias com personagens assim, gosto que aborde temas atuais e que mostre o lado de dentro dessas situações, como você mesmo disse... o livro mostra a fundo como eles lidam com as situações.
Parabéns pela resenha!

Beijão
Leitora Cretina

Gabriela CZ disse...

"Não importa o que as pessoas digam, você merece ser visto do jeito que é e merece que gostem de você assim." Essa frase me convenceu definitivamente, Mari. Já queria ler Por Lugares Incríveis, e agora quero ler esse também. Ótima resenha.

Beijos!

Carolina Garcia disse...

Oi, Mari!!!

Tenho muita curiosidade sobre a autora por conta de tantos elogios que vejo. Gosto muito de YA e tenho certeza que vou gostar das histórias de Jennifer Niven também.

A resenha está ótima. Uma pena que Juntando os Pedaços não foi tão bom quanto Por Lugares Incríveis. Mas ainda bem que foi um bom livro, né?

Vou checar assim que possível.

Bjs

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Mari, tudo bem? Eu estou passando por um certo bloqueio em relação a livros YA, mas como nunca li nada da autora, quero conferir este livro, mesmo sendo só mais um como os outros, e também quero conferir em breve outros da autora. Sabe como é, nossas listas intermináveis de leitura rsrsrsrs

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Marília Leocádio disse...

Estou louca para ler esse livro a história é muito linda e adoraria começar a ler e me emocionar.

Thaynara ribeiro disse...

Estou super intrigada pq um personagem negro, com esse disturbio e popular não é normal. Quero ver como ele lida com isso e se alguém chega a descobrir a deficiência.

Fabio disse...

Olá, Mari!
Nossa, acho que sou um dos últimos que ainda não leram o primeiro livro da autora haha Já estou colocando ele e esse novo na TBR, já que tratam de assuntos importantes de um jeito leve e delicado. Parabéns pela resenha e pelo blog!
Abraço!
http://lupiliteratus.blogspot.com.br/

suzana cariri disse...

Oi!
Ainda não li nada da Jennifer Niven, mas estou bem curiosa sobre esse livro dela, gostei muito dos nossos protagonistas e dos temas que a autora aborda ao longo do livro, parece ser uma historia linda, emocionante e gostei muito da Libby que parece uma personagem forte e que acaba nos ensinando muito ao longo do livro !!

Ana I. J. Mercury disse...

Que linda resenha, adorei!
Eu queria muito ler Por lugares incríveis, mas depois de descobrir alguns spoilers, fiquei com medo de ler, confesso!
Porém, Juntando os pedaços parece ser mais o meu forte mesmo, tudo isso de não dar tanto lado para a aparência, mas sim, pelo o que a pessoa é em sim me agrada bastante.
Vou querer ler o quanto antes! E se gostar, vou tentar ler Por lugares incríveis também ;)
bjs

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger