domingo, 4 de março de 2012

RESENHA: Um crime adormecido

“As grandes janelas de guilhotina, com vidros um tanto sujos, davam para o pátio de uma casa do século XVII, com muros sólidos em volta. Não havia nada de audacioso ou moderno em nenhum canto, mas também não havia nada que fosse um horror. À primeira vista, era um escritório desajeitado, com seus arquivos de documentos, sua escrivaninha toda desarrumada e seus livros de direito caídos de qualquer jeito numa estante. Mas era o escritório de alguém que sabia exatamente onde procurar se quisesse encontrar algo.” (CHRISTIE, 2011, p. 112/113).

***

Um crime adormecido é o último livro com a personagem Miss Marple e diz a lenda que a Dama do Crime escreveu o livro e o guardou em um cofre de banco, onde permaneceu guardado por anos. A autora somente autorizou sua publicação quando percebeu que não conseguiria mais escrever.

Ou seja, quando abri o livro não tinha dúvida nenhuma que Agatha Christie teria preparado uma trama excepcional para dizer adeus a uma de suas personagens. E assim foi.

A recém-casada Gwenda Reed adquire uma casa no litoral da Inglaterra, e quando começa as reformas na sua residência, desejando deixá-la em ordem para a vinda de seu marido, estranhos acontecimentos tomam lugar.

A casa, que antes parecia tratar-se de um local promissor para dar início a vida conjugal, agora se mostra como um lugar sinistro para morar. Posteriormente, Gwenda é tomada por uma súbita certeza: uma mulher foi assassinada naquela casa. É neste momento que Mr. e Mrs. Reed, auxiliados por Miss Marple, começam a investigar o crime adormecido.

A última trama com a presença de Jane Marple não poderia ser melhor: um quebra-cabeça envolvente, repleto de mistério e suspense, e tão instigante que mantém o leitor curioso até a última página. Embora as estórias sejam bem diferentes, achei que o livro guardou alguma semelhança com Punição para a inocência, pois ambos investigam crimes ocorridos no passado.

Sei que irá soar redundante, mas sinto-me obrigado a deixar registrado mais uma vez o porquê de considerar Agatha Christie a melhor autora de livros policiais. Primeiro, por que são livros bem escritos, com personagens interessantes, e tramas bem concatenadas. Absolutamente tudo o que a autora revela é importante, e no final da leitura estes pequenos detalhes irão se encaixar de forma perfeita, revelando o cerne da trama.

Mas o que mais a diferencia é que ela não enrola o leitor. São livros relativamente curtos, mas dosados na medida certa, sem narrativas ou diálogos inúteis. Ou seja, a trama não é minuciosamente exaurida, como muito autores do gênero fazem, o que acaba por tornar a obra maçante.

Ouso dizer que Agatha reúne o melhor de dois mundos: literatura de qualidade com objetividade. E, sem dúvida nenhuma, Um crime adormecido é um belo exemplo desta mistura.

Título: Um crime adormecido
Autora: Agatha Christie
N.º de páginas: 220
Editora: L&PM

4 comentários:

Thiago Felício disse...

Ainda não li o livro. Mas reconheço toda a genialidade da Agatha, afinal ela é mestra do suspense. Concordo quando você falou que ela é uma mistura de qualidade com objetividade.


Parabéns pela resenha.

Abraço
Papos literários
http://paposliterarios.blogspot.com/

Cida disse...

Eu sou fã de Agatha e vejo poucos blogs comentando sobre a Rainha e Mestra do Crime. Este livro é sensacional, e também Punição para a Inocência. Mas o meu favorito, talvez até por ter sido o primeiro que li é O Caso dos dez negrinhos. Você já leu? Um outro que fala de algo cometido no passado e que está muito bem enterrado é a Extravagancia do Morto. Conhece este?
Adorei e já estou seguindo.

Bjs

Cida

http://moonlightbooks.blogspot.com.br/

Bruno Arruda disse...

Estou querendo ler esse livro, pra ser um dos últimos livros dela concerteza deve ser muito bom. Preciso ler!

SUZANA disse...

Li. Trama sensacional! Quero ler novamente!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger