quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

RESENHA: O Veredicto de Chumbo

“Meu sangue gelou nas veias. O instinto de lutar ou fugir invadiu meu cérebro. O resto do mundo deixou de importar. Havia apenas o momento e eu tinha de fazer uma escolha. Meu cérebro avaliou a situação mais rapidamente que qualquer computador IBM teria feito. E o resultado dos cálculos foi que eu sabia que o homem vindo em minha direção era o assassino e que estava armado.” (CONNELLY, 2009, p. 230).

***

Depois de ler O Poder e a Lei, mal podia esperar para ler a continuação da saga do advogado criminalista Michael Haller (especialmente após ter lido um spoiler sobre este livro em Nove Dragões). Embora não tenha sido tão bom quanto seu antecessor, O Veredicto de Chumbo é a prova derradeira de que Michael Connelly é um excelente escritor de thrillers jurídicos.

Após dois anos longe da advocacia, Michael Haller retorna aos tribunais após assumir os casos do advogado Jerry Vincent, incluindo o processo de Walter Eliot, magnata da indústria do cinema, acusado de assassinar a esposa e o amante. Por sua vez, o detetive Harry Bosch é encarregado de investigar a misteriosa morte de Jerry. 

Connelly novamente me impressionou por seu domínio sobre advocacia criminal, retratando de maneira fidedigna o trabalho deste profissional. O caso de Walter Eliot, aparentemente simples, se desdobra nas mais inimagináveis ramificações. Aliás, este é um dos méritos do autor: conseguir prever o que o leitor espera que irá acontecer, de modo que faz o oposto, levando a estória para um rumo inesperado.

Paralelamente ao caso de Eliot, o detetive Bosch está disposto a investigar o quanto for necessário para descobrir quem foi o responsável pela morte do advogado, o que implica em obter a cooperação de Haller, para descobrir se o assassinato pode estar relacionado com os casos que Jerry trabalhava.

A relação entre os dois personagens foi muito bem explorada por Connelly. Embora o livro seja narrado em primeira pessoa, do ponto de vista de Haller, o leitor se identifica e gosta de ambos os personagens, de modo que fica difícil tomar o lado de um deles quando há interesses conflitantes.

Como era de se esperar do autor, o livro é repleto de muita ação, com uma trama sem pontas soltas, reviravoltas inimagináveis, final surpreendente e uma narrativa perfeita. Minha única crítica ao autor é a sua desagradável mania de dar spoiler de suas obras anteriores, então sugiro que você não leia este livro antes de O Poder e a Lei.

De todo modo, Connelly é um autor que sabe o que está fazendo e que sabe para que lado quer conduzir sua estória. Ou seja, estou ansioso para ler o próximo volume da série, Reviravolta, recentemente publicado pela Editora Suma de Letras.

Título: O Veredicto de Chumbo
Autor: Michael Connelly
N.º de páginas: 420
Editora: Suma de Letras

11 comentários:

Aione Simões disse...

Oi Alê!
Sempre que vejo um livro do autor, me lembro de você.
Ruim isso dos spoilers de livros anteriores. Vou me lembrar disso quando resolver ler algum livro dele, assim posso verificar se o livro escolhido pertence a alguma série e, no caso de pertencer, se é o primeiro dela.
Beijos!

Ana Paula Barreto disse...

Eu tenho vontade de ler os livros do autor, mas até agora nada. Gosto desta ação toda, das pontas amarradas e de muita coisa inesperada acontecendo!
O máximo de contato que tenho com o autor (e indiretamente, por sinal) se deve ao filme O Poder e a Lei, que por sinal gostei muito.
bjs

cristiane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gladys Sena disse...

Ainda não li nada do Michael Connelly, mas tenho vontade.
Gosto de tramas com essa temática.
Se ele gosta de spoilers então tenho que ler essa série na sequência, aff!

GFC: Gladys.

Mey disse...

Em alguns momentos gosto mto de livros que abordam o universo do direito e tals, mas n no momento. Estou mais para romances. Não li nada do autor. Mas vou anotar essa dica, parece ser uma otima serie. bjkss

Meyre Christina

nangy@ig.com.br

Clara Beatriz disse...

Oi Alê,

Ainda não li nada do Michael Connelly, mas pela sua resenha fiquei bem interessada. Achei a capa do livro bem interessante também.

Beijos.

Jessica Lisboa disse...

Bem o autor é novo pra mim mas ja ta na minha lista sem duvida! Adorei o genero do livro (♥) o livro me parece ser muiiito bom!

Nardonio disse...

Sou fã de thriller jurídico, e sei que o Michael Conelly manda super bem no gênero. Achei a história bem interessante, e se tem muita ação, reviravoltas e final surpreendente, posso dizer que irei me esbaldar nas páginas desse livro.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Manu Hitz disse...

Gosto disso: quando um autor domina o assunto, não comete erros com sua linha de raciocínio e nos conduz por uma história em que nos identificamos com os personagens. Ele consegue fazer isso, então merece minha leitura. E agora, que estou curtindo leituras investigativas, então... ótima pedida!

Seguidora: Manu Hitz

cristiane disse...

Legal esse livro heim? Não conhecia nem autor nem livro, mas pelo jeito é bom. Bons livros desses é que preciso ler ultimamente, saudade de ler coisas do gênero. Gostei desse.



cristiane dornelas

Layse Hana disse...

Nunca tinha ouvido falar do livro nem do auto...Infelizmente o livro não tem nenhum atrativo para mim!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger