segunda-feira, 14 de abril de 2014

RESENHA: A Garota Silenciosa

"Hesito o suficiente para criar uma dúvida em sua cabeça. Fazê-la se perguntar se minha resposta será verdadeira. O jogo de xadrez entre nós continua, jogadas de movimento e contra-ataque." (GERRITSEN, 2013, p. 221). 

***

Tess Gerritsen estava em minha lista de "Autores para Conhecer" há muito tempo e minha vontade de ler algum de seus livros apenas aumentou quando descobri que a autora é leitura obrigatória na casa de Stephen King, frase que está inclusive estampada na capa do livro.

Quando uma mão ensanguentada é encontrada por um grupo de turistas em Chinatown, a detetive Jane Rizzoli terá de encontrar o restante do corpo da vítima e descobrir quem é o assassino. Porém, o caso ganha novos contornos quando ela descobre que o assassinato pode estar relacionado ao massacre ocorrido há dezenove anos no bairro chinês. 

Como mencionei na TAG Como Eu Leio, a literatura policial sempre foi uma das minhas grandes paixões, mas tenho lido cada vez menos livros do gênero visto que estes tem se tornado extremamente previsíveis para mim. Infelizmente, devo dizer que A Garota Silenciosa também foi um deles. 

Na minha opinião, livros policiais não funcionam sem uma boa quantidade de red herrings. Conceituado de forma concisa, pode-se dizer que red herring seria uma pista que leva na direção errada e é inserida justamente para distrair a atenção do leitor. Exemplificando: um velho milionário morre e seu único herdeiro está endividado. Ahhaa! Foi o herdeiro. Na verdade, o velho era milionário por que estava envolvido em um esquema de corrupção e agora, arrependido e a beira da morte, decide delatar seus parceiros no crime. 

Agatha Christie tem a fantástica habilidade de nos fazer desconfiar de quase todos os personagens de seus livros, de modo que o leitor dificilmente acerta quem é o assassino da estória. Por sua vez, Gerritsen não conseguiu ocultar a identidade do vilão de forma satisfatória, de modo que quando a grande revelação surgiu, não foi o suficiente para me surpreender. Porém, sou obrigado a admitir que a autora fez um bom trabalho no tocante a motivação, a qual não consegui adivinhar. 

Creio que por influência do título da série Rizzoli & Isles, imaginava que a detetive e a patologista trabalhavam como parceiras, constantemente em contato para desvendar a autoria do crime. Na verdade, a protagonista da obra é Jane Rizzoli, sendo a participação de Maura Isles mais pontual, visto que suas habilidades são necessárias apenas em momentos específicos. 

A narrativa da autora é ágil e dinâmica, além de prender a atenção do leitor desde o início. Aliás, não foram poucas vezes que encerrei um capítulo e fui obrigado a continuar a leitura por mais algumas páginas para descobrir o que iria acontecer. 

Encerro reconhecendo que a trama de A Garota Silenciosa é intrincada, mas sem deixar de lado a verossimilhança, de modo que a estória tinha muito potencial para ser um livro memorável. Apesar de não ter conseguido alcançar este patamar, Tess Gerritsen mostrou que tem capacidade para muito mais e por isso entrou em minha lista de "Merece uma Segunda Chance".   

Título: A Garota Silencios (exemplar cedido pela editora) 
Autora: Tess Gerristsen 
N.º de páginas: 366 
Editora: Record

7 comentários:

Erika Rodrigues disse...

Olá Alê!
Não conhecia esta autora nem este livro, mas gostei bastante da trama. A literatura policial foi que digamos assim me motivou a ler mais e mais. Hoje sou mais seletiva quanto aos títulos do gênero, mas é sempre bom descobrir autores novos.
Achei a premissa da estória interessante e é uma pena que a identidade do culpado não tenha sido um completo mistério.
Ótima resenha.

Espero sua visita =)
http://numrelicario.blogspot.com.br/

Caline disse...

Já assisto a série há um bom tempo, mas apenas ano passado descobri que ela era uma adaptação dos livros da Tess.
Adoro policiais e Agatha e Sidney são meus queridinhos. Acho que de tanto ler os livros dos dois tenho uma facilidade muito grande de descobrir quem é o assassino nos romances policiais.
Tenho muita vontade de ler os livros da Tess, os comentário são sempre muito positivos, mas os preços não ajudam.
Espero conseguir começar algum dia.

Mundo de Papel

Lais Cavalcante disse...

Eu amo livros policiais, assim como você. E nada melhor do que ser surpreendido pelo autor no final do livro. Nunca tinha ouvido falar nem do livro, nem da autora, mas vou pesquisar mais sobre ela, uma vez que você deu uma segunda chance e Stephen King disse que é uma leitura obrigatória. Veremos...

Laura Zardo disse...

Eu achei esta capa tão linda que compraria o livro só por ela, hahaha. Mas foi bom ter lido a resenha, não fiquei lá muito interessada na história, mas como não tenho muitas experiências com livros policiais, mesmo gostando do gênero, acho que não teria a mesma crítica que a sua, então acho que leria este livro numa boa. =)

Nardonio disse...

Quando lemos muitos livros do mesmo gênero, acabamos meio que "profissionais" em imaginar que vertente o autor vai usar na sua trama. E é inegável que, quando chegamos a esse patamar, um autor tem que se superar pra conseguir surpreender o leitor. Uma pena que a Tess não conseguiu fazer isso com você, mas, pelo menos, conseguiu ganhar um voto de confiança para uma segunda chance.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Confesso que queria ler esse livro pela trama envolver cultura chinesa (pelo que li em outros comentários) do que pelo policial, mas com esse alerta já fico preparada para não esperar grandes coisas dessa parte. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Livy disse...

Este é um livro que estou louca para ler faz tempo. Mas estava tão ansiosa, e depois da sua resenha estou pronto para não criar muitas expectativas.

Beijos,
Livy,
No Mundo dos Livros

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger