terça-feira, 12 de agosto de 2014

RESENHA: Will & Will

"— NÃO. Não, não, não. Eu não quero foder com você. Eu só te amo. Quando foi que quem você quer foder se tornou o mais importante? Desde quando a pessoa que você quer foder é a única pessoa que você ama? [...]. Quero dizer, tudo gira em torno de quem você quer foder e se você fode com essa pessoa? Essas perguntas são importantes, eu acho. Mas não tão importantes assim. Sabe o que é importante? Por quem você morreria? Por quem você acorda às 5h45 sem nem saber pra que ele precisa de você? De que bêbado você limparia o nariz?!” (GREEN; LEVITHAN; 2014, p. 292). 

***

É fato notório e sabido que após a leitura de qualquer obra de John Green, você desejará ler os demais livros de sua autoria. Por sua vez, David Levithan é o autor do aclamado Todo Dia, livro que ainda não tive a oportunidade de ler, mas que está na minha lista de desejados há algum tempo. Assim, é impossível não desejar conferir o resultado desta parceria.  

Uma série de coincidências fazem com que Will Grayson encontre Will Grayson em um dos locais mais improváveis de Chicago. Além dos nomes, os protagonistas não compartilham nenhuma outra semelhança, mas suas vidas estarão mais conectadas do que se pode imaginar a primeira vista. 

Já mencionei por aqui que fico um pouco receoso com livros escritos por dois autores. Afinal, para o resultado final ser positivo é necessário que eles estejam em perfeita sintonia para não criarem tensões ou contradições no decorrer da estória. Por isso, achei interessante a solução criada por Green e Levithan: cada um deles ficou responsável por escrever o ponto de vista de um dos protagonistas, em capítulos alternados. 

Mesmo estando familiarizado com a genialidade de John Green, devo admitir que me surpreendi pela complexidade da trama. Isso porque mesmo com as mudanças de ponto de vista, os capítulos se complementam perfeitamente e a trama-mestra não é prejudicada pela utilização deste artifício. 

Quanto aos protagonistas, reconheço que fiquei dividido. Se por um lado me identifiquei bastante com o modo de pensar de Will Grayson (escrito por Green), o outro Will (escrito por Levithan) me irritou um pouco com sua atitude adolescente-rebelde-depressivo. Felizmente, a evolução deste personagem ao longo da trama se tornou um dos pontos fortes da obra. 

Apesar de a obra abordar assuntos relacionados a homossexualidade — como aceitação e relacionamentos homoafetivos —, creio que o cerne da estória seja sobre amizade e amadurecimento na adolescência. Ainda assim, os escritores merecem aplausos por tratar de uma tema que a pouco tempo ainda era considerado tabu com tanta naturalidade. 

Como era de se esperar, John Green sabe misturar como ninguém gêneros distintos, elogio este que também deve ser estendido a David Levithan. Com pitadas de romance, drama e comédia, Will & Will não apenas entretém, mas também faz refletir. Minha única crítica se limita ao desfecho, que não me agradou por completo, mas não posso explicar o porquê sem correr o risco de dar spoilers. 

Embora não seja o melhor livro de John Green, Will & Will não decepciona. Além disso, em sendo meu primeiro contato com David Levithan, admito ter ficado ainda mais curioso para ler o restante de seus livros.

Título: Will & Will
Autores: John Green e David Levithan
N.º de páginas: 348
Editora: Galera Record

12 comentários:

Nardonio disse...

Dois dos grandes nomes da literatura atualmente. É um verdadeiro duelo de titãs, e que bom que essa união deu muito certo. Já li dois livros do John (e estou lendo o terceiro agora), e li o "Todo Dia", e nem preciso falar que me tornei fã dos dois. As narrativas dos dois são ótimas, de uma fluidez impressionante.
Estou super curioso pra ler esse livro.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

RUDYNALVA disse...

Alê!
Li apenas um livro do John Green que foi Cidades de Papel e gostei muito.
Acredito que um livro que aborde tema tão complexo como homofobia, homossexualismo e amizade, ainda mais escrito por autores renomados, mereça sim uma leitura e no mínimo, pelo que entendi, podermos dar boas risadas.
cheirinhos
Rudy
Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!

Daniella Souza disse...

Eu não sou muito fã dos livros de John Green, não por ser ruim, mas por não ser o tipo de livro que eu goste. O problema é que mesmo não gostando dele, eu me interessei bastante por esse livro. Eu já li vários comentários sobre ele e me deu vontade de ler. rs
Beijo

http://canastraliteraria.blogspot.com.br/

Filipe Laia disse...

Não li nada desses autores, mas não posso negar que são 2 grandes escritores e que conseguiram conquistar muitas pessoas. Então um livro feito pelos dois, deve ser no mínimo bom.

Abraços
www.booksever.blogspot.com

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Esse é um dos poucos livros do Green publicados no Brasil que ainda não li. Na verdade só falta esse e Quem é Você, Alasca?. Não li nada do Levithan, mas quero muito. Já li diversos comentários sobre Will & Will, mas os seus são de longe os mais favoráveis e que mais me deixaram ansiosa pela leitura, Alê. Ótima, resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Karen Strobel disse...

Oi Alê!
Depois de A Culpa é das Estrelas, este é o primeiro livro do John Green que vejo uma resenha positiva e que a história parece valer a pena..! Aquele Quem é Você, Alasca até a sinopse me dá sono.. : / Se bem que sempre é possível termos surpresas né..!
Bjos!
Karen
http://www.bookadvisor.com.br/

beth disse...

Fica difícil conter minha ansiedade depois de ler sua resenha. rsrsrs A história realmente parece ser incrível. Também vindo de John Green é impossível não se deixar levar por suas histórias. Já pensava em ler este livro, mais não imaginava que me encantaria tanto com os personagens descrito nele. Amei. Beijos.

Telemaco disse...

E pensar que eu gostei do livro até a metade, virou um livro do Tiny, o que me irritou e muito

http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

Denise (@dnisin) disse...

Eu lembro do burburinho que esse livro causou quando foi lançado, eu cheguei a receber da editora, mas não tive vontade de ler. Todo mundo comenta super bem e fala que realmente trata de temas delicados, mas mesmo assim não me interessei em ler.

Bjs, @dnisin
www.seja-cult.com

Lucas Kammer Orsi disse...

Oi Alê,

li o livro recentemente e gostei bastante (apesar de também não ter se tornado meu favorito). Confesso que o livro foi por caminhos que eu não esperava, o que me desagradou um pouco. Mesmo assim, o livro tem seu encanto e sua singularidade. As situações do cotidiano, os conflitos de ser adolescente, as descobertas quanto a qual caminho seguir e como devemos ser: talvez sejam apenas alguns dos elementos que tornem a história dos autores tão real. Demorei um pouco para perceber que eram os dois Wills que narravam a história. Gostei do Will do John, mas gostei mais ainda da evolução do Will de David.

Abraço,
Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com

Ana Clara disse...

Oi Alê!

Eu já li todos os livros do Green e também já li o "Todo Dia" do Levithan (e não gostei muito, para ser sincera) e concordo com você: não é a melhor obra do Green, mas não deixa a desejar. Gostei demais da interação dos dois autores durante o livro, achei brilhante. E eu até gostei do final, apesar de ter achado que ficou um pouco no ar.

Meu exemplar é aquele da capa antiga, cinza com as letras meio coloridinhas. Particularmente, acho-a bem mais bonita que essa atual.

Beijos!
http://www.roendolivros.com/

Liza Mikaelly disse...

Eu ainda não li nenhum livro de John Green e nem de David Levithan mas sempre vejo ótimas criticas sobre eles. O livro Will&Will me fascinou por sua complexidade em descrever e de falar sobre um assunto ainda polêmico na sociedade de hoje em dia que é o homossexualismo. Quero muito lê-lo para saber como se termina a história e como é o seu desenrolar e também como e a escrita de Green e Levithan. Amo esta capa! acha mais linda do que a outra. Beijos <3

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger