quarta-feira, 3 de junho de 2015

RESENHA: Uma História de Amor e TOC

“Sei que não sou simplesmente uma garota peculiar e bonitinha como Beck diz, e cada momento em que não consigo sair do sofá é um instante que me torna um nível mais louca. Aquela pesada sensação de pré-choro inunda meu nariz e meus olhos e abaixo a cabeça com o peso. Cubro o rosto com as mãos por tempo suficiente para dar um grito silencioso ou dois. Porque não há nada, nada pior do que não ser capaz de desfazer os pensamentos loucos. Peço-lhes para sair, mas eles não vão. Tento ignorá-los, mas a única coisa que funciona é ceder.” (HAYDU, p.137, 2015)

Recebi “Uma História de Amor e TOC” de surpresa e simpatizei com o livro no instante em que bati os olhos nele. Eu não costumo me interessar por histórias de amor, mas uma protagonizada por dois adolescentes com TOC me pareceu ter tudo para render ótimas situações.

Bea é uma adolescente bonita, cheia de estilo, que já teve alguns namorados e, como toda adolescente, tem uma melhor amiga que sabe todos os seus segredos. O problema de Bea é que ela tende a ser obsessiva com certos rapazes (a ponto de se tornar uma stalker), com objetos afiados e ainda com possíveis acidentes que pode causar no trânsito (ponto de colecionar as informações em livros de recortes). Há tempos fazendo tratamento, Bea foi diagnosticada com Transtorno Obsessivo-Compulsivo e é na terapia em grupo que ela conhece Beck, outro adolescente com TOC, cuja obsessão é fazer tudo em séries de oito, lavar as mãos o tempo inteiro e malhar diariamente até ser expulso da academia. Então Bea e Beck começam a se apaixonar. Justo agora que ela está obcecada pelo casal que faz terapia antes dela e cujas confissões ela anota em um caderninho e depois os segue até em casa. E justo por Beck, de quem ela mal quer tirar as mãos, mas que cada vez que a beija precisa correr para o banheiro lavar as mãos oito vezes.

“Uma História de Amor e TOC” foi uma experiência diferente da que eu imaginava. Eu esperava um livro engraçado sobre dois adolescentes tentando viver seu romance em meio a situações absurdas que eles mesmos criam, mas sobre as quais não tem controle. Porém, conforme as páginas foram passando, mais reais as situações foram se revelando e as risadas se tornaram bem escassas.

Embora a história seja tanto de Bea quanto de Beck, é na menina que a autora foca, fazendo dela a narradora do livro. Tem sido cada vez mais comum vermos livros narrados em múltiplos pontos de vista (recurso que, a meu ver, são poucas as histórias que realmente pedem), mas Corey opta por usar apenas o de Bea e isso se revela suficiente. O que acompanhamos é a visão que a menina tem de seus próprios problemas, assim como dos problemas de Beck e também de uma relação que pode ser típica adolescente em alguns momentos e em outros de apoio e até de insegurança. Que pode ser perfeita (afinal, quem melhor para entender e aceitar as compulsões do que outra pessoa que sofre disso?), mas que exigirá trabalho.

A autora também escolhe revelar aos poucos os episódios que levaram os personagens a desenvolverem seus transtornos, dando pequenos indícios ao leitor. Bea, por exemplo, tem um histórico como stalker e a vemos falar com frequência sobre os dois rapazes de seu passado, mas é só aos poucos que descobrimos todas as camadas da história.

O livro demora a engrenar e, com isso, demorei a me conectar com a história. Na verdade, não sei se em algum momento cheguei a me conectar de fato. Porém ressalto que é possível acreditar em Bea e Beck como personagens, assim como é possível entender o que se passa em suas mentes, suas compulsões e o porquê de se apaixonarem um pelo outro, mas não posso dizer que os personagens chegaram a me tocar.

Vejo em “Uma História de Amor e TOC” potencial para cativar muitos leitores. Sem levar na brincadeira, mas também não falando sério demais, e envolvendo dois personagens problemáticos em uma história não só de amor, mas de aceitação e superação, que mescla momentos bonitinhos com momentos dramáticos, o livro consegue ser leve e se revela uma opção para quando se deseja intercalar uma leitura pesada com uma despretensiosa. Foi bem diferente do que eu imaginava. Não necessariamente pior nem melhor. Apenas diferente.

Título: Uma História de Amor e TOC (exemplar cedido pelo Grupo Editorial Record)
Autora: Corey Ann Haydu
Nº de páginas: 320
Editora: Galera

29 comentários:

Luis Carlos disse...

Estou interessado nesse livro desde que o vi pela primeira vez *-* Eu gostei dele por envolver TOC, uma doença que é pouco conhecida. Eu gostaria bastante de conhecê-la melhor e, além disso, a história parece ser super envolvente! Adorei a resenha!

Gabriela CZ disse...

Esse livro me deixou curiosa já pelo título desde a primeira vez que o vi, Mari. Também não sou muito chegada em histórias de amor, mas o fato dos personagens terem TOC é um grande atrativo pra mim. E gostei de saber que a autora tratou o tema de forma nem muito cômica e nem muito dramática. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Paty Algayer disse...

Oi Mari!
Já li algumas opiniões bem variadas sobre este livro... alguns amaram, outros odiaram! Eu achei a premissa interessante, mesmo não fazendo bem o meu estilo de leitura... vou adicionar aos desejados, e ver se consigo dar uma chance a ele no futuro!
Bjus,
Paty Algayer - Mágica Cult

Maisanara F. disse...

Oi, também não me interesso por livros de romances e vendo esse livro também havia imaginado que a história era de dois adolescentes e que seria engraçada. Com certeza vou querer ler pois gosto muito de histórias que retratam a realidade que muitas pessoas vivem. Bjus.

Denise Aquino disse...

Oii, Mariana!
Já tinha ouvido falar desse livro mas é a primeira resenha que leio. Gostei da ideia, provavelmente darei uma olhada pela parte de TOC mesmo, já que não é tão comum encontrar histórias com isso. Obrigada pela indicação!

Beijão,
surmelody.blogspot.com

Carolina Venceslau disse...

o legal desse livro e abordar uma doença muito popular porem pouco conhecida. Creioque comesse livro podemos compreender mais sobre a doença.

Hayanne Deise Lins disse...

Pelo que li na resenha, é como se a sua opinião fosse meio que neutra em relação à história. Realmente há livros assim, que funcionam para tirar aquela ressaca literária da última trilogia, ou série. kkkk

Fiquei muito feliz com sua visita no meu blog, volte sempre. :D
Já estou seguindo aqui, beijos. :*
www.sentido--literario.com

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha Mariana! Estou ansiosa para ler Uma História de Amor e TOC e espero não me decepcionar. Beijo!

www.newsnessa.com

Eliana Cerqueira disse...

Oi, Mari!
Fiquei bastante curiosa com a premissa desse livro.
Os temas abordados não é algo muito comum em livros de romances. Fiquei curiosa para saber como a autora desenvolve a história e quanto ela se aprofunda no assunto.
Beijos

Construindo Estante || Curta a fan page
#MêsDosNamorados do Costruindo Estante. Concorra a 1 vale presente de R$ 50,00 da Saraiva.
Participe!

Kamila Villarreal disse...

Olá!

Nunca tinha visto um romance que aborda portadores do TOC. Ao mesmo tempo que é uma linda história, ela nos dá uma ideia de como é viver com essa doença. Me interessei pela história.

resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

Diane disse...

Olá !
Já li inumeras resenhas desse livro e acho que a sua é a mais acertada , pois , apesar de não ter lido ainda esse livro o considero bem diferente (pelo que vi na sinopse ) .
Quero muito ler esse livro , para tirar a minha própria opinião .

Tá rolando promoção lá no meu blog . Participe !
http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Rebeca B. disse...

Oi.
Não conhecia o livro, acredita?
Parece ser muito bom mesmo, ótima resenha pois fiquei curiosa.

http://blogexplicita.blogspot.com/

lud cabral disse...

adorei tua resenha, achei que vc foi bem sincera e isso so me fez querer ler ainda mais o livro (pois ele esta tem tipo um tempinho na minha listinha para ler mas sem dinheiro fica dificil), ja vi mt gente falando bem desse livro mesmo
tonsdeleitura.blogspot.com

Sil disse...

Olá, Mari.
Essa é a primeira resenha que leio desse livro. Como nunca li nenhuma história que fale sobre Toc, me interessei bastante. Essa doença deve ser terrível. É uma pena que o livro não te tocou, espero que comigo seja diferente.

Blog Prefácio

Soraya Abuchaim disse...

Que graça o livro e sua resenha!!
Parece ser aquele tipo de livro leve de ler, que realmente cativa os leitores.

Beijos

Meu Meio Devaneio

Cecília Vieira disse...

A narrativa parece ser interessante pelo tema que aborda, mas não acho que a leitura me agradaria justamente por demorar a engrenar. Já vi gente falando a mesma coisa em outras resenhas, e isso me desestimula para ler. Talvez noutra oportunidade, mas por enquanto vou continuar deixando de lado.
Beijos.

Amália Teles Machado disse...

Gosto bastante de livros que tratem de temas difíceis, principalmente para os jovens. Além disso, a discussão sobre o tema ajuda a entender o que não sabemos e até ajudar a quem passa por situação parecida, ou até nós mesmos, e ainda ajuda a sermos menos preconceituosos. Quero muito ler o livro e conhecer mais a fundo a história de Bea e Beck.

Thays Suenaga disse...

Primeira resenha que leio desse livro e já anotei o nome dele aqui, parece ser um livro interessante e super envolvente e os protagonistas fora do convencional.

Yara Prado disse...

Nossa, eu estava super ansiosa para ler este livro, mas quando você falou que não se conectou direito com os personagens... Bom, um amigo me disse a mesma coisa sobre o livro.
Acho que terei problemas com isso também, mas ainda quero ler.

Bjs.
Yara - Ilusões Escritas.
http://www.ilusoesescritas.com/

Rafaela. disse...

Oi, Mari!

Desde que eu vi este livro, fiquei louca para lê-lo, pois achei a premissa bem diferente e divertida - além disso, eu adoro boas histórias de amor. Porém, sempre ficava receosa de compra-lo e, no fim, não ser tudo aquilo que eu esperava. Bom, após ler sua resenha, vejo que eu fiz bem... De fato parece ser uma leitura diferente e interessante, mas para por aí. Também acho péssimo quando não há conexão com os personagens, parece que falta algo.

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Wilson Brancaglioni disse...

Olá Mariana tudo bem?

Começei a pouco tempo ler obras Young Adult para entender os jovens e suas complexidades e as leituras tem se revelado bastante satisfatórias pelas surpresas que tem se revelado, afinal, as dúvidas, anseios, mudanças repentinas são muito parecidas com as que vivi quando era adolescente. O que muda são as ferramentas que os jovens utilizam para superar esses sentimentos. A tecnologia é em grande parte responsável por isso. Confesso também que é um assunto extenso para discussão. Em relação a resenha fiquei interessado, pois fiquei imaginando como Bea e Beck lidam com todas as mudanças que um adolescente passa aliado ao problema de TOC. Não é fácil para eles. Fiquei curioso também para saber como os adultos ajudam esses adolescentes se é que ajudam, pois tive a impressão que eles lidam com os problemas sozinhos o que é muito mais complicado. Adorei a resenha e quando ler o livro postarei minhas impressões.

Wilson Brancaglioni
http://www.estantedowilson.com.br/

Joanderson Oliveira disse...

Oi Mari, eu estou bem interessado nesse livro! Essa é a segunda resenha que leio sobre ele e confesso que atrelar a questão do TOC com um romance me deixou muito curioso para ver o desenrolar de toda a história!

Abraços!

http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

rafaela disse...

Acredito que eu vou gostar desta leitura. Adoro histórias que envolvem questões psicológicas e comportamentais, e achei bem interessante a temática desse. Já gostei de saber que o livro é bem leve, e com certeza vou colocar ele na minha listinha :)
Beijos!

Liih Ferreira disse...

Eu estou com muita vontade de ler esse livro. Ainda mais que eu nunca tinha pensado que stalkear alguém não é tão legal assim. Afinal, faço isso as vezes kkkkk mas o que me deixa com vontade mesmo de ler o livro é que pelas resenhas que li eu só consigo enxergar este livro como duas pessoas problemáticas, digamos assim, encontram amor uma na outra e superam as dificuldades para ficarem juntas. Que cara hoje em dia todo mundo desiste fácil demais. Só achei uma peninha que você não conseguiu se conectar desde o princípio com os personagens.

Inquietudes Secretas

Karina Valshe disse...

Me surpreendi com sua resenha pois assim como você tinha imaginado que o livro fosse diferente do que se mostrou, mas isso não chega a ser negativo. Continua sendo um livro que desejo ler, exatamente por ser um livro leve, pois preciso equilibrar minha estante que possui tantos livros com uma pegada mais pesada, como também por retratar uma doença que encontrei apenas em um único livro.

Nardonio disse...

Quando vi esse livro, imaginei que era um romance mais leve e divertido. Mas,, pelo que deu a entender, não é tão divertido assim. Ao primeiro momento, podemos até achar as situações engraçadas, mas depois de um tempo, imaginamos o quão complicada deve ser a vida de uma pessoa com TOC. Enfim, acho que deve ser um pouco angustiante ver a rotina dessas duas personagens, mas creio que seja uma boa leitura. Vou querer ler.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Mirian Viegas disse...

Olá!
Me interessei pelo livro, mesmo apontando algumas falhas, achei legal um livro abordar esse tema e com protagonistas adolescentes.
E por mais que, até mesmo como está no título é uma história de amor, o livro trate também da superação dessa doença.

Ana I. J. Mercury disse...

Gosto bastante de livros com personagens que possuem doenças.
Sejam elas curáveis, ou não.
Porque nos fazem refletir muitoooooo sobre a vida, e até aceitar noossos defeitos e o de noossos familiares.
Não gostei de Amy & Matthew por exemplo, mas com ele tive a certeza que tenho toc kkkkk
enfim, amo essses livros e quero muito ler esse!
bjs

Karolyne K. disse...

Eu tenho o livro e quero ler em breve =)
Gosto muito de romances que possuem cenas fofinhas mas também possuem as partes sérias. Gostei.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger