terça-feira, 31 de maio de 2016

RESENHA: O Rei do Inverno

“[...]. Reinos precisam de reis e sem eles não há nada além de terra vazia convidando as lanças de um conquistador.” (CORNWELL, 2014, p. 112)

***

Desde que li alguns livros da série As Aventuras de Sharpe, tenho vontade de conferir a saga mais aclamada de Bernard Cornwell: As Crônicas de Artur. E ao chegar ao final da leitura, o único pensamento que me ocorria era por que demorei tanto tempo para ler O Rei do Inverno

Artur é filho bastardo do Rei Uther Pedragon e seu único filho legítimo e herdeiro morreu em batalha, deixando sua esposa grávida. Quando Mordred nasce, Uther exige a fidelidade de seus aliados para manter a criança no poder. Após a morte de Uther, a Bretanha começa a se esfacelar, tanto em guerras internas, quanto contra os invasores saxões, e cabe a Artur não apenas eliminar as muitas ameaças e garantir o trono de Mordred, mas também a manter o reino unido. 

Para ser sincero, nunca me interessei pela lenda de Artur, nem pelos muitos personagens que acompanham essa figura lendária. Mas quando iniciei a leitura de O Rei do Inverno, me vi completamente envolvido pela estória e me surpreendia ao descobrir como Merlin, Morgana, Lancelot e tantos outros se encaixavam na estória. 

Artur é um personagem fantástico, sempre dividido entre o dever e o coração. Cornwell criou um protagonista extremamente humano, que age sempre pensando no melhor para o reino, mas que também comete erros. Se por um lado sabe ser altruísta e pacifista, por outro também sabe ser ingênuo, egoísta e até mesmo manipulador. 

O mais interessante é que a narrativa se dá em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Derfel, um órfão criado por Merlin e que depois se junta as tropas de Artur, se tornando amigo dele. E mesmo com toda admiração que sente pelo líder, Derfel não esconde as falhas de Artur. 

Derfel, apesar de não ser exatamente o protagonista, é o personagem a quem o leitor se apega. Como o livro cobre um período de aproximadamente dez anos, vemos Derfel deixar a adolescência para se tornar um homem, e sua evolução ao longo da estória é cristalina. 

O clima de tensão entre druidas e cristãos é palpável do início ao fim, sendo que desenvolve um importante papel na estória. Merlin, sendo o mais poderoso dos druidas, é uma figura quase mística que quer restaurar a Bretanha de antigamente, expulsando as novas religiões. É ao enfocar em Merlin e em outros "pagãos" é que a série flerta com elementos sobrenaturais, embora, em nenhum momento se torne uma obra de fantasia. 

Como era de se esperar, Cornwell é mestre em criar cenas de batalhas com altas doses de adrenalina. É impossível não prender a respiração ou largar o livro antes que o embate termine, especialmente nos últimos capítulos do livro, quando se atinge o clímax. 

Ao final do livro, Cornwell acrescenta uma nota de esclarecimento na qual explica a ausência de fontes históricas confiáveis sobre Artur. O autor esclarece que não se pode nem mesmo concluir pela existência de Artur, embora fosse provável que um grande guerreiro tenha lutado contra as invasões saxônicas, dando origem aos mitos. 

Apesar da escassez de registros, Cornwell se mantém fiel ao panorama histórico daquele período, se apropriando de personagens, lendas e mitos, e criando uma trama plausível e, acima de tudo, empolgante. 

Título: O Rei do Inverno – As Crônicas de Artur (livro 1)
Autor: Bernard Cornwell
N.º de páginas: 544
Editora: Record

21 comentários:

David Galan disse...

Concordo em tudo, mesmo que não se possa ter certeza sobre a existência de Arthur como o próprio autor cita, ele consegue criar um personagem muito humano e tornar sua estória crível, envolvendo o leitor que torce pelo personagem. As cenas de batalhas e confrontos são sempre fantásticas, ele é mestre nessas descrições e isso torna o livro muito mais emocionante, fazendo com que se queira ler os outros livros e acompanhar a narrativa histórica e incrível do Bernard Cornwell.

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Eu não sabia dessa série do Arthur e já quero! Amo muito essa lenda. Fora que é uma oportunidade de conhecer a escrita do Cornwell
Beijos
Balaio de Babados

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Alê.
Eu gosto da lenda do Arthur. Apesar de saber que é apenas uma lenda ou um compilado de fofocas de época, quando bem trabalhado, dá para criar enredos bem interessantes.
Como tenho curiosidade em ler algo do autor, acredito que esse livro seja um bom primeiro passo, principalmente porque ele consegue demonstrar de maneira tão rica o período e o conturbado relacionamento entre cristãos e druidas.
Ótima resenha.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

Cabine de Leitura disse...

Oi Alê;
Gosto deste estilo literário e fiquei instigada a leitura deste livro, uma resenha perfeita.

Beijos da Camila.
http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br

Thuanne Souza disse...

Eu até acho legal a história do Rei Arthur e tudo mais, mas acho que não leria um livro.
Este parece ser bom, mas não é bem o meu gênero literário favorito.

Lilian Huzyk disse...

Não conhecia essa lenda e nem esse livro, mas achei essa capa muito foda. A premissa da história parece ser ótima, então acho que daria uma chance, apesar de não ser muito meu estilo. Adorei a resenha!

http://www.leitorasvorazes.com.br/

Teca Machado disse...

Oi, Alê!
Eu até gosto bastante da lenda/história do rei Artur.
Achei muito legal a sua resenha sobre esse livro, que ainda não conhecia.
E amei o fato de que ele é bom, segue o dever e o coração, mas comete erros e tem seu lado manipulador. É bom encontrar personagens assim porque ninguém nessa vida é 100% mau ou bom.
Já anotei na minha wishlist porque gosto MUITO desse tipo de história e narrativa.
:)

Beijoooos

www.casosacasoselivros.com

Aline Bronkhorst disse...

Oi Alê!

Até hoje não acredito que ainda não tenha lido os livros do Cornwell.
Gosto muito de histórias de cavaleiros e Arthur entra no bolo. Já li As Brumas de Avalon e estou louca pra ler O Rei do Inverno.
Parabéns pela resenha!

Beijos

http://www.booksimpressions.com.br/

Diane disse...

Oi, Alê.
Também nunca me interessei pela lenda de Arthur, porém, ao ler sua resenha fiquei bem curiosa a respeito da leitura do livro. O autor parece ter feito um trabalho sensacional.
A única coisa que me desanimou foi ter que encarar essas mais de 500 páginas... Fiquei com medo de se tornar maçante, mesmo, você tendo relatado essas batalhas empolgantes.
Beijos

Ana I. J. Mercury disse...

Sempre quis ler essa série, e agora fiquei mais curiosa e com mais vontade!
Amei sua resenha. Deu pra entender bem o desenrolar da trama e a evolução dos personagens.
Alguns livros do rei Artur que li, achei ele muito perfeito, e esse pelo jeito, ele é mais humano, mais normal por assim dizer.
Já quero.
bjss

Bruna Lago disse...

Esse primeiro trecho me lembrou o livro O Príncipe.
Eu adorei a premissa do livro, junto com sua resenha. Vejo que ele é fantástico, cheio de guerras e ensinamentos. Eu, ao contrário, gosto bastante dessas lendas em volta do rei, deixa nossa imaginação à solta.
Abraços!

Gabriela CZ disse...

Faz muito tempo que quero ler essa série, Alê. Só que diferente de você minha vontade é incentivada pelo interesse na lenda do Rei Arthur. Mas seus comentários me deixaram questionando porque estou demorando tanto. Realmente preciso ler. Ótima resenha.

Beijos!

suzana cariri disse...

Oi!
Faz um tempo que vi esse livro, mas ainda não tinha parado para poder ler a resenha, gostei muito da historia, achei bem interessante como o autor monta essa historia de Rei Arthur junto com os demais personagens e estou bem curiosa para poder ler esse livro !!

Guilherme disse...

Oi Ale!
Quero muito ler esse livro e algo desse autor, adorei a resenha parece ser muito bom mesmo!
Abraço!
http://leituraforadeserie.blogspot.com/

Gisele Castro disse...

Já toda a trilogia, as Cronicas do Rei Artur são magnificas, como sempre, Bernard Cornwell consegue mitar no quesito romances históricos, autênticos, de questões complexas e produção épica! É um dos meus autores prediletos!
bjoss
www.gizahcastro.com

Gisele Castro disse...

*Já li

Bianca Sampaio disse...

Oi Alê!
Faz um tempo que comprei o box da trilogia, mas ainda não li. Conheço pouca da lenda de Artur, mas tenho muita curiosidade.

Beijos,
Epílogos e Finais

Thalita Branco disse...

Olá Ale!
Comprei o box em uma mega pormoção e estou doida para ler. Adorei sua resenha e gostei de saber que o ponto de vista não é o do Artur!
Bjs

EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do DIA DOS NAMORADOS <3

Ariane Reis. disse...

Oie Alê =)

Morro de vontade de ler os livros do Bernard, justamente pelo fato do autor abordar uma temática pela qual sou fascinada. Infelizmente com tantos livros para ler, ainda não consegui dar uma oportunidade para o autor, mas a curiosidade está a mil.


Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Letícia Proença disse...

Oie!

Eu me sinto muito mal por ainda não ter lido nada do autor, principalmente porque eu só leio elogios intensos em relação às obras dele! Também nunca fui muito a fundo a respeito da lenda de Artur, mas essa série me parece uma boa pra conhecer tanto o autor, quanto Artur hahahaha até porque gosto bastante desse tipo de leitura, então me interessei bastante!
Parabéns pela resenha ;)

caverna-literaria.blogspot.com

Carolina Garcia disse...

Oi, Alê!!!

Já faz muuuuuuuuuito tempo que fiquei com vontade de ler esse livro, mas ainda não consegui!!
Na época que foi lançado eu não tinha como comprar e acabei esquecendo com o tempo, mas sua resenha está ótima e me lembrou que queria muito ler a história! Hahahahaha
Tenho certeza que vou me encantar também!! :)

Bjs

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger