terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

RESENHA: Voltar Para Casa

“[...]. Olhe para você. Você é livre. Nada nem ninguém é obrigado a te salvar, só você mesma. Plante a sua própria terra. Você é moça e mulher e as duas coisas têm sérias limitações, mas você é uma pessoa também. Não deixe a Lenore ou um namoradinho qualquer e com toda certeza nenhum médico do mal resolver quem você é. Isso é escravidão. Em algum lugar aí dentro de você está essa pessoa livre de que eu estou falando. Encontre ela e deixa ela fazer algum bem neste mundo.” (MORRISON, 2016, p. 117)

***

Confesso que nunca tinha ouvido falar de Toni Morrison — mesmo sendo ganhadora do Nobel da Literatura de 1990 — e nem lembro exatamente como cheguei ao livro Voltar Para Casa. Mas, ao ler a prova do mesmo no site da editora, a estória deixou um gostinho de quero mais e não tive dúvidas de que precisa conferir o restante da obra. 

Frank Money é um veterano da Guerra da Coreia que retornou ao país traumatizado e sem saber como lidar com os fantasmas que o assombram. Já Ycidra sempre contou com o irmão mais velho e quando ele vai para a guerra, fica à deriva. Após um casamento impensado e ser abandonada pelo marido, Ci consegue um bom emprego. Mas quando adoece, Frank vai ao seu encontro e junto retornam à pequena Lotus para recomeçarem suas vidas. 

Morrison criou personagens reais e complexos, que ganham vida em poucas páginas. Um dos fatores mais interessantes é acompanhar pontos de vista de diversos personagens e ver como um mesmo fato pode ser interpretado de formar diferentes. É assim que a autora mostra que todos nós somos, ao mesmo tempo, mocinhos e vilões. 

O ponto alto certamente é o aspecto psicológico dado ao drama dos personagens e as suas lutas. De forma sútil, Morrison mostra a humanidade de cada um deles e fala sobre temas como dor, injustiça, identidade, superação e, sobretudo, amor. O título do livro não poderia expressar melhor a jornada dos protagonistas e o processo de cura e redenção que encontram um no outro. 

Embora seja um livro curto, a narrativa reflete a densidade do drama vivenciado pelos personagens e, por isso mesmo, não é o tipo de livro que é lido de uma vez só. Apesar de ser denso, o texto de Morrison não é cansativo, tampouco maçante.

Entretanto, apesar de ver um imenso potencial na estória e nos personagens, Voltar Para Casa parece ser um livro subexplorado. Frank e Ycidra eram personagens riquíssimos, mas a autora não parece ter vontade de desenvolver seus dramas de forma mais aprofundada. 

Assim, Voltar Para Casa acaba sendo apenas a estória de dois irmãos que se separaram, passam por diversas atribulações e que encontram a cura para suas cicatrizes ao se reencontrarem. Não que seja uma estória ruim, mas ela deixa um gostinho de que faltou um algo a mais. 

É por isso que Voltar Para Casa me frustrou: tinha tudo para ser um livro memorável, mas que por ir pelo caminho mais fácil, não causou o impacto que poderia ter causado. 

Título: Voltar Para Casa (exemplar cedido pela editora)
Autora: Toni Morrison
N.º de páginas: 135
Editora: Companhia das Letras

15 comentários:

Sil disse...

Olá, Alê.
Quando comecei a ler a resenha estava muito empolgada. Gosto muito de livros que tenham alguma coisa a ver com a guerra e de voltas para casa. Mas quando cheguei na parte do desenvolvimento dos dramas dos personagens desempolguei. Livros assim tem que ter os dramas dos personagens bem explorados. Então não sei se leria.

Thaynara ribeiro disse...

Esperava um drama bobo não uma narrativa com temas tão profundos... Gostei bastante da resenha e leria. Quero ver como o autor expõe os medos e humanidade de cada personagem

Marília Leocádio disse...

Confesso que achei bem intrigante e bem interessante esses personagens, nunca li nada do autor e esse livro me pareceu bem chamativo, uma pena a historia acabar sem muitos detalhes que deixam o leitor sempre com uma duvida no final.

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Eu não conhecia a autora e o nome dela só me lembra o nome de uma cantora hahahahha
Creio que o número de páginas deve ter "colaborado" para o não-aprofundamento dos personagens.
Beijos
Balaio de Babados
Sorteio Literário de Carnaval
Resenha Premiada Paixão e Crime

Nessa disse...

Oi Alê
Pena que o livro não foi bem o que vc esperava. Pelo enredo ele tinha tudo para dar certo mesmo, até fiquei curiosa.

Beijinhos
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

Marta Izabel disse...

Oi, Alê!!
Não conhecia a autora desse livro. Parece ser um história mais de reencontro. Mesmo que a leitura não tenha sido tão boa assim fiquei interessada no livro.
Bjoss

Ana I. J. Mercury disse...

Alê, eu ainda não conhecia o livro, mas confesso ter ficado bastante interessada.
Parece ser uma obra profunda e tocante, além de tudo, muito humano.
E reflexiva.
Vou querer conferir, anotado aqui!
Obrigada.
bjs

Priih disse...

Oi Alê, tudo bem?
Gostei da resenha! Conforme lia, imaginei que seria um livro longo - pelos temas a serem explorados -, mas fiquei surpresa com o número de páginas. Pena que deixou algumas coisas a desejar.
Beijos,

Priih
http://infinitasvidas.wordpress.com

Gabriela CZ disse...

Também não conhecia a autora e o livro, mas o quote que você escolheu me deixou bastante curiosa, Alê. Uma pena que a pouca exploração da trama tenha te frustrado, mas ainda assim fiquei com vontade de ler. Ótima resenha.

Beijos!

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Alê!

Também não conhecia o autor e nem o livro! Achei que pudesse ser interessante uma trama densa, mas curta, mas pelo visto me enganei bem. Uma pena, realmente parece que pela premissa poderia ser algo mais memorável.

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

RUDYNALVA disse...

Alê!
Livros que falam sobre os dramas da vida são sempre densos e gostei de saber que ele abordou o aspecto psicológico das personagens que tentam curar suas feridas do passado ao se reencontrarem e voltarem para casa, como se lá fosse realmente o porto seguro deles.
“Todos os homens, por natureza, desejam saber.” (Aristóteles)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

Somos Visíveis e Infinitos disse...

Oi, tudo bem??
Também não tinha ouvido falar sobre ela... Mas que pena que o livro te frustrou... É muito ruim se sentir assim :(
Não conhecia a leitura e deixei anotado na minha lista pra procurar depois!
Beijos
www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=0v9U832Kb8g

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Alê.
Uma pena que o livro não alcançou todo o potencial que poderia. Contudo, apesar disso, a trama parece ser interessante. Principalmente por causa dos aspectos psicológicos.
Darei uma chance.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de março. Serão três livros como prêmio, sendo dois autografados.

Livros em Contexto disse...

Oieee...

Ah, que decepcionante!Nada mais triste do que ler um livro que não alcançou todo seu potencial.
Também não conhecia a autora, vou procurar saber mais sobre o livro.

Um super beijo

Livros em Contexto

Carolina Garcia disse...

Oi, Alê!!

Toni Morrison está na minha lista de autoras que tenho que ler pelo menos uma vez na vida ainda! Hahaha
Obviamente, ainda não li nada, mas o livro que me chamou atenção dela foi Amada, que conta a história de uma ex-escrava fugindo do cativeiro no Estados Unidos. Pelo menos é o que me lembro. Tenho grandes expectativas também.
Espero não me desapontar!

Bjs

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger