sexta-feira, 14 de setembro de 2018

RESENHA: Outsider

Stephen King / Outsider
A beleza das histórias de Stephen King é que não há regras. Tudo pode acontecer. Em “Outsider”, realmente acontece.

Na pequena cidade de Flint City, o corpo de um menino de onze anos é encontrado em uma cena de crime perturbadora. Perturbador também é quando Terry Maitland, um homem respeitado na comunidade, é reconhecido por diversas testemunhas e seu DNA comprova que ele é o autor do crime. Só que Terry tem um álibi sólido que o coloca a quilômetros de distância e planta dúvidas na mente dos envolvidos na investigação, em especial do detetive Ralph Anderson. Como poderia um homem estar em dois lugares ao mesmo tempo?

Quando se trata de Stephen King, é fácil saber que uma história pode enveredar para qualquer lado. No caso de “Outsider” isso significa que pode se tratar tanto de um criminoso extremamente inteligente, quanto de uma resposta sobrenatural. Ambas as possibilidades são intrigantes e o autor segura esse mistério por boa parte da narrativa (uma pena que uma citação do Publishers Weekly na orelha do livro entregue qual o caminho que a trama segue).

Não sou fã de histórias sobrenaturais, mas gosto da maneira como King trata o tema, sempre como se o sobrenatural fosse parte natural da trama, de forma que nem questionamos se aquilo é realista ou não, fantástico ou não. Mas em “Outsider” os próprios personagens duvidam do que está acontecendo. Eles mesmos escutam uns dos outros: “Eu sei que é difícil de engolir, mas vem comigo” e essa acaba sendo a mensagem que o autor deixa nas entrelinhas para o leitor, ao alertá-lo para o quanto o que está acontecendo é fantasioso. “Ok, King. Eu vou com você”, foi a minha reação. “Mas me convença de que isso faz sentido e que não é uma solução preguiçosa.”

Sim, a trama começa como uma investigação policial e acaba virando uma caçada a um ser sobrenatural e eu não vejo nisso um problema. Mas me incomodou um pouco que o autor não guarde muitas surpresas. Na metade do livro já entendemos o que está acontecendo. Dali para a frente é só esperar o desenrolar dos acontecimentos. É ruim? Não. Mas achei um desenvolvimento cômodo para um autor capaz de tanto mais. É como se King estivesse apenas brincando de escrever um livro.

“Ela tentaria convencê-las mesmo assim. Uma pessoa fazia o que podia, fosse ajeitar lápides ou tentar convencer homens e mulheres do século XXI de que havia monstros no mundo e que a grande vantagem deles era a indisposição das pessoas racionais para acreditar.” (KING, 2018, p. 334)

Talvez, a verdadeira história que King queria contar com “Outsider” estivesse relacionada não aos acontecimentos em si, mas na consequência deles. No que o medo e a incompreensão nos fazem sentir. No fato de que não compreender uma coisa não faz com que ela não seja real e que, às vezes, é importante aceitar como possível o que parece totalmente improvável. Destaque para a família Peterson e para a mudança de mentalidade do detetive Ralph que se obriga a aceitar que existem coisas que estão além da lógica. Nisso King acerta, fazendo o que sabe fazer de melhor: trabalhando a humanidade de seus personagens.

Outsider” tem uma breve relação com a trilogia “Mr Mercedes” e traz de volta a personagem Holly Gibney. Para aqueles que não leram a trilogia, isso não é impedimento, já que a personagem é suficientemente contextualizada neste livro. Eu mesma li apenas os dois primeiros livros da trilogia e, embora a participação de Holly tenha mais a ver com os acontecimentos do terceiro livro, não senti dificuldade nenhuma.

Mesmo não sendo uma das tramas melhor desenvolvidas do autor, daquelas que ele torce o pano até tirar a última gota de água, “Outsider” é um Stephen King. O que significa que é um livro envolvente e que você facilmente lerá 100 páginas seguidas sem nem notar.

Título: Outsider
Autor: Stephen King
N° de páginas: 528
Editora: Suma
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelos links acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

10 comentários:

Lara Caroline disse...

Oi Mari, tudo bem?
Eu por enquanto só li 500 páginas de It, e já vi como a escrita do King é incrível. É uma pena que Outsider não foi tão surpreendente pra você, mas fiquei curiosa para lê-lo.
Beijos

Ludyanne Carvalho disse...

Essa capa ficou muito legal!
É interessante quando a história tem diversas possibilidades, acho que nos deixa mais envolvidos e empolgados para saber qual possibilidade será a escolhida.
Também não curto coisas sobrenaturais, prefiro uma fantasia maus leve.
Nunca li nada do King, mas pelos comentários que já li sobre o autor é provável que ele realmente esteja brincando de escrever.

Beijos

Gabriela CZ disse...

Se tem Holly eu preciso ler, Mari! rs Ainda não li a trilogia Mr Mercedes, mas estou vendo a série e adoro a personagem. E gostei da premissa. Ótima resenha.

Beijos!

Michelli Prado disse...

Confesso que há alguns anos não leio nada do autor, e esta proposta de terror e sobrenatural,me deixou ainda mais curiosa para ler algo dele, e na expectativa para saber que se desenvolve da historia. Essa capa é de arrepiar =O
Adorei conferir a resenha, e creio que quando for realizar a leitura, não irei com tanta expectativa.

RUDYNALVA disse...

Mari!
É a primeira resenha que leio do livro e já estou aqui totalmente empolgada para poder fazer a leitura.
Fáantástico Mestre King mistura uma investigação criminal com algo 'sobrenatural', mudando a performance das personagens no decorrer do livro e tornando a leitura intigante e misteriosa, além de trazer curiosidade para chegar ao final.
Sinto que não tenha sido um dos melhores na sua opinião, mas quero ainda assim.
“O prazer dos grandes homens consiste em poder tornar os outros felizes.” (Blaise Pascal)
cheirinhos
Rudy
TOP COMENTARISTA SETEMBRO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

O Vazio na Flor disse...

Não dá para ser perfeito em tudo né?rs
Acho que só por ser do Mestre King, todo livro dele, acaba se tornando um dos mais vendidos e até queridos, mesmo com os enredos as vezes,não tão bons.
Já li muita coisa positiva sobre este livro,mas também, negativas.
Para mim, o que mais gostei foi este resgate de um personagem importante da trilogia Mr Mercedes(amo).
Com certeza, já está na lista de mais desejados e espero ter e ler a obra em breve.
Beijo

Luana Martins disse...

Oi, Mari
Vi vários comentários positivos e negativos sobre o livro.
Quero muito ler as obras do mestre, gostei que ele trouxe Holly Gibney para esta trama.
Este livro esta nos meus desejados desde que lançou.
Beijos!

Marta Izabel disse...

Oi, Mari!!
Nossa mais um livro do Stephen King quero muito conferir! Gosto muito de livros sobrenaturais e quando é do mestre do terror é melhor ainda!!
Bjos

Carolina Santos disse...

Essa capa ficou maravilhosa e já estou doida para conferir esse novo livro do Stephen King adoro livros com essas pegadas Sobrenaturais e terror e nisso Stephen King completo especialista

Ana I. J. Mercury disse...

Fiquei bem curiosa, parece ser um livro mais leve, sem terror e sem grandes mistérios, mas com um bom desenvolvimento.
Como eu não leio muito do gênero, mas quero ler mais, acho que será bom para começar.
bjs

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger