terça-feira, 25 de junho de 2019

RESENHA: Cabo do Medo

Cabo do Medo - John D. MacDonald - Darkside Books
Adoro quando eu descubro que filmes que gosto muito foram inspirados em livros que eu nem sabia que existiam. Isso aconteceu mais uma vez com “Cabo do Medo”.

Sam Bowden vive feliz com a esposa e os três filhos até o dia em que Max Cady é libertado da prisão após cumprir 13 anos de uma sentença de prisão perpétua. Há anos, Sam foi um dos responsáveis pela condenação de Max pelo estupro de uma menina de quatorze anos e, agora que está em liberdade, Max quer vingança.

Cabo do Medo” não é um livro sobre surpresas e reviravoltas. Desde o início sabemos quem Max é e o que pretende. Sabemos onde está o perigo. A tensão está em esperar que ele surja em qualquer lugar, a qualquer momento. Que algo aconteça. Algo que torcemos para que não aconteça. É essa expectativa que segura o leitor ao longo de mais de 200 páginas.

Essa tensão constante acontece porque MacDonald vai direto ao ponto, dando início à trama a partir do momento em que Max começa a colocar sua vingança em prática. É uma história em que não precisamos de introduções. Não precisamos acompanhar o planejamento. Só precisamos ve-lo aterrorizar a família Bowden. Por isso também, “Cabo do Medo” é um livro curto, do tipo que facilmente pode ser lido em um único dia.
“Era como se todos os seus medos tivessem se tornado realidade, como se ela sempre houvesse sabido da agonia especial que a aguardava.” (MACDONALD, John D., 2019, p.54)

O autor faz algo que me agrada muito que é envolver Max em uma atmosfera de imprevisibilidade e violência de forma que a simples menção do seu nome basta para aterrorizar. Esse é o tipo de livro cuja alma está no vilão, mas a verdade é que ele pouco aparece e, nas vezes em que aparece, mal fala. Só isso basta! Se Max está ali, isso é sinônimo de algo terrível e ninguém será páreo para ele.

Sam, por sua vez, nos faz questionar até que ponto uma pessoa pode ir quando a segurança das pessoas que ama está em risco e o quanto as regras de certo e errado se aplicam em situações extremas.

Mesmo tendo me prendido do início ao fim, confesso que no desfecho “Cabo do Medo” me jogou um balde de água fria. É ruim? Não. Longe disso. Mas eu esperava mais. Quando eu vi, o livro havia acabado sem os momentos de tensão extrema que eu aguardava para as últimas páginas. Mas isso não desmerece a jornada.

“Cabo do Medo” já ganhou duas adaptações cinematográficas com nomes de peso da sétima arte. A primeira, em 1962, com Gregory Peck e Robert Mitchum. A segunda, em 1991, com Robert De Niro (tão assustador como Max Cady que eu podia enxerga-lo durante a leitura mesmo já tendo assistido há anos) e Nick Nolte em filme de Martin Scorsese. Quanto à primeira não posso opinar, mas a segunda afirmo que é de tirar o fôlego.

Título: Cabo do Medo
Autor: John D. MacDonald
Nº de páginas: 221
Editora: Darkside Books
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

7 comentários:

Rayssa Bonai disse...

Olá! Nossa, ainda nem li o livro e já estou aterrorizada pelo Max. Achei interessante o livro não focar em reviravoltas, mas sim na expectativa de Max aparecer a qualquer momento, de fato a alma do livro está no vilão. Esse não faz meu estilo de leitura, mas confesso que fiquei bem intrigada com a premissa. Obrigada pela indicação! Beijos!

Rayane B. de Sá disse...

Oiii ❤ Apesar de ter achado a trama muito bem elaborada, não sei se leria esse livro, não sou muito fã de ficar o tempo todo com medo rsrsrs.
Estou curiosa pra saber o que Sam faz para proteger a família. Espero que todos eles fiquem bem no final.
O vilão desse livro parece ser muito bem pensado, pra dar medo de verdade no leitor.
Quero muito saber o que acontece no final, se Max volta para a prisão, morre ou algo do tipo.
Obrigada pela dica de leitura ❤

O Vazio na Flor disse...

Ah o filme com De Niro!!!Caramba, que gostoso poder relembrar tudo aquilo agora(vou rever, ah vou)
Ainda não li a obra,mas fiquei aqui pensando em quem ainda não conhece a história pegar um livro assim, toda essa tensão, esse medo, as surpresas.
Pois realmente não há entrelinhas, há uma busca, um encontrar.
Mas quando? Em que momento?
E a DarkSide e suas capas maravilhosas!
Com certeza, quero poder conferir a obra e rever o filme de 1991!!
Beijo

Carla disse...

Oi, Mari!
Sei da existência do filme, mas também nem desconfiava que era baseado em um livro. Parece ser uma leitura beeem tensa, do jeitinho que eu gosto! Hahahaha! Já quero ler.

Beijos, Entre Aspas

Ana I. J. Mercury disse...

Não assisti aos filmes, mas fiquei com bastante vontade de lê-lo.
Achei interessantíssimo falar abertamente sobre vingança. Esse acerto de contas deve ser eletrizante.
Bjs

Luana Martins disse...

Oi, Mari
Não assisti os filmes, mas depois de ler sua resenha procurei trailer do filme de 1991. Robert De Niro sem comentários, ele é maravilhoso em qualquer personagem.
Gostei muito do enredo bem intrigante, que Max nem precisa falar apenas sua presença já assusta.
Quero ter oportunidade de ler e assistir o filme.
Beijos

Gabriela CZ disse...

Confesso que não sabia do livro e nem dos filmes, Mari. Mas fiquei interessada, gosto de histórias tensas. Ótima resenha.

Beijos!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger