quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

RESENHA: O Torreão

“Danny engoliu em seco. Por um instante, não sentiu nada, e depois uma onda de pânico se ergueu dentro dele, um pânico como nunca havia sentido antes, nem quando correra sozinho no meio daquela mata. Aquilo nada tinha a ver com sua mente nem com o verme – era mais profundo.” (EGAN, 2012, pg.189)

O Nova Iorquino viciado em celular, Danny, recebe uma passagem só de ida de seu primo Howard para encontra-lo em um antigo castelo que pretende transformar em um hotel de luxo onde tecnologia nenhuma é bem vinda. Pode-se dizer que é essa a história de “O Torreão”, mas a verdade é que “O Torreão” é muito mais do que isso.

A narrativa maravilhosa de Jennifer Egan é a primeira coisa que chama a atenção em “O Torreão”. Além de escrever incrivelmente bem, a autora usa do mise-en-abime (uma história dentro de outra história, e outra história) para fazer deste um livro único e daqueles que fazem o leitor ficar pensando, ao terminar a leitura, se realmente compreendeu a proposta da autora. Em alguns momentos, Egan apresenta uma narrativa que é mais frequentemente encontrada em contos do que em romances. Os diálogos, por exemplo, em sua maioria apresentam uma marcação pouco tradicional (ou seja, sem o uso dos travessões) e por vezes não apresentam marcação nenhuma. Isso pode causar estranhamento para alguns (de fato li algumas resenhas que criticam essa característica da autora), mas Egan tem tanto domínio de sua história e a voz de seus personagens está tão bem configurada que mesmo uma fala no meio de um paragrafo de narração, sem marcação alguma, não confunde o leitor (e veja que eu sou uma daquelas que normalmente defende a marcação tradicional, bonitinha, que evita confusões) e pode ainda, a meu ver, ser uma pista das intenções da autora. Além disso, Egan consegue mesclar diversos elementos na história, passando do interior de uma prisão e seus detentos para um castelo antigo, e fazer com que tudo se encaixe com maestria. Mesmo não sendo um livro de terror, há momentos em “O Torreão” que eu sentia minha respiração quase parar. O suspense que Egan cria está muito além de meros acontecimentos ou seres assustadores. Está em suas palavras e na maneira como elas manipulam o leitor.

Danny, Howard, Ann, Mike, Ray, Holly, todos os personagens são capazes de atrair o leitor e se tornam misteriosos, cada um a seu modo, ao mesmo tempo que deixam pairando no ar a sensação de que são absolutamente comuns.Outra coisa que chama atenção é o narrador. Mesmo não fazendo parte da história que está sendo contada, ele nos conta sua própria história, de maneira que passa sim a fazer parte dela, de tal forma que já não sabemos o que é o principal: se ele, ou a história que escolheu nos contar. Parece confuso? Pois é. Não me parece que a autora teve intenção alguma de facilitar.

“O Torreão” é um livro como nenhum outro. Brilhante a seu modo, mas que pode decepcionar alguns leitores. Se gostar ou não de um livro é algo completamente subjetivo, isso se aplica ainda mais a “O Torreão” que é aquele tipo de leitura da qual cada um pode tirar uma interpretação. Para mim, valeu mais pela oportunidade de testemunhar a habilidade de Jennifer Egan do que pela história em si. Envolvente e curioso. Muito curioso.


Título: O Torreão
Autora: Jennifer Egan
Nº de Páginas: 238
Editora: Intrínseca

13 comentários:

MsBrown disse...

Gostei muito da resenha. Com certeza me deu vontade de ler o livro!

Aione Simões disse...

Oi Mari!
Tenho muita vontade de ler o outro livro da autora, mas sua resenha me deixou muito curiosa sobre O Torreão.
Adorei ver o domínio e o conhecimento da Jennifer Egan sobre a história, e em como o livro é incomum em muitos pontos.
Fiquei realmente curiosa e espero, quando ler, conseguir me envolver como você se envolveu, ficando sem ar em algumas partes!
Beijão!

Ana Paula Barreto disse...

Não tinha prestado muito atenção neste livro, mas agora estou muito curiosa. Adoro histórias dentro de histórias, mistérios e tudo mais. Com certeza este livro entrou para minha lista!
bjs

Gladys Sena disse...

Humm, fiquei intrigada e curiosa.
Assim que tiver uma oportunidade o lerei e tirarei as minhas conclusões, ;)

GFC: Gladys

cristiane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mey disse...

Li A Visita Cruel do Tempo, da mesma autora e me apaixonei pela escrita dela. Tenho o Torreão, mas ainda n li. Estou numa fase de leituras despretenciosas, mais simples. MAs pretendo ler esse livro em breve. Bjkss.

Meyre Christina

nangy@ig.com.br

Fabi disse...

Parece interessante! Já coloquei entre os desejados do meu skoob!! bjoooo
http://fabipimentarosa.blogspot.com.br/

Clara Beatriz disse...

Já li algumas resenhas deste livro, elas basicamente tinham a mesma opinião que a sua. Fiquei bem interessada no livro, espero ter a oportunidade de lê-lo.

Jessica Lisboa disse...

Bem ja vi esse livro varias esses em promoção no Submarino, mas nunca li nenhum resenha dele, ate que o livro me parece ser bom o enredo é legal.

Nardonio disse...

Geralmente gosto de ler algo que seja mais "quadradinho", com direito a pontuação certinha, e etc. Sinceramente, não sei como seria minha experiência em ler algo nesse formato que você mencionou. Em relação a trama, achei muito interessante, pois me amarro em cenas de tensão. Rsrsrs

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Manu Hitz disse...

Tenho outro livro da autora premiada aqui, o 'A visita cruel do tempo' e ainda não li. Quero mesmo conhecer esse estilo de Egan que, como vc bem disse, não é unanimidade entre os leitores, mas a crítica considera muito.
Essa história não me interessou, por isso adquiri o outro.

Seguidora: Manu Hitz

cristiane disse...

Ainda vou ler esse livro, só não tenho a mínima ideia de quando :S
Adorei a história e gostaria de ler algum livro dela, nunca li nenhum =/


cristiane dornelas

Layse Hana disse...

Gostei bastante da historia achei meio diferente dos livros que estão sendo lançados hoje em dia o que é muito bom *_*

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger