domingo, 6 de julho de 2014

RESENHA: O Universo contra Alex Woods

“Sem o meteorito, eu seria uma pessoa completamente diferente. Eu teria um cérebro diferente – conexões diferentes, funções diferentes. E não estaria contando a você agora esta história. Eu não teria uma história para contar.” (EXTENCE, 2014, p.226)

Alex Woods poderia – talvez, quem sabe, ter tido a chance de - ser um adolescente comum se sua vida não tivesse sido pontuada por acontecimentos bizarros que o tornaram peculiar. Aos onze anos, um meteorito atravessou a sua casa e o atingiu na cabeça. Tempos depois, ele passa a ter ataques epiléticos que o colocam em situações constrangedoras. Sua família se resume a sua mãe, uma médium, o que também não ajuda em nada a sua popularidade no colégio. Inteligente e interessado por assuntos como astrologia e neurologia, ele não tem muitos amigos e não se importa em viver no seu canto. Até que surge em sua vida o Sr. Peterson, um velho veterano de guerra, rabugento e solitário, com quem desenvolve uma amizade que impactará na sua maneira de ser e entender o mundo. É a sequência desses eventos que culmina em Alex sendo capturado pela polícia com 113 gramas de maconha e uma urna cheia de cinzas aos dezessete anos.

Não é novidade que livros que giram em torno de histórias de amor não me atraem. Em compensação, eu adoro uma boa história de amizade. E é isso que “O Universo Contra Alex Woods” é: uma história de amizade entre as pessoas mais improváveis que passam a ter uma influência fundamental na vida uma da outra.

Narrado em primeira pessoa por Alex, o livro começa no presente com ele sendo pego pela polícia e tentando evitar uma crise epilética. A partir dali o personagem volta no tempo e escolhe começar a contar a sua história quando é atingido pelo meteorito. Isso já é capaz de mostrar o tipo de livro que “O Universo Contra Alex Woods” pretende ser: sério, mas ao mesmo tempo divertido e curioso, com acontecimentos reais, mas completamente absurdos. E devo dizer que funciona muito bem.

A situação em que o protagonista se encontra nas primeiras páginas é um indicio do que veremos acontecer, por isso acho que não prejudica o envolvimento de qualquer leitor dizer que esse é sim um livro leve e divertido, mas que esconde um tema sério e polêmico: a eutanásia.

A idéia de perder alguém que ama qualquer minuto antes do tempo estritamente necessário é absurda aos olhos de Alex, mas essa nova situação impensável diante da qual o universo o coloca o obriga a refletir sobre o que é uma vida digna, o que vale mesmo a pena e até onde uma pessoa tem poder de decisão sobre sua própria vida.

Por isso admira como mesmo tratando de um assunto pesado o autor consegue manter a leveza do livro e ainda fazer refletir sobre um assunto que não costuma habitar os pensamentos do leitor.

Outros bons personagens são atraídos pela união de inteligência e uma dose de inocência de Alex - como a cientista que estudou seu meteorito e o neurologista que se tornou seu médico – criando laços de amizade e dando ângulos à história. O mais marcante do livro é sim o relacionamento de Alex e o Sr. Peterson, mas a trama não é sobre isso e sim sobre esse menino e tudo que foi importante para ele até aquele ponto da sua vida.

“O Universo Contra Alex Woods” é um Young Adult que reúne drama e amizade, diversão e seriedade ao colocar um personagem adorável nas situações mais improváveis, aprendendo a moldar a sua personalidade mesmo quando o universo parece ter uma estranha conspiração contra ele.

Título: O Universo Contra Alex Woods (exemplar cedido pela Editora)
Autor: Gavin Extence
Tradutor: Santiago Nazarian
Nº de páginas: 398
Editora: Rocco

12 comentários:

Virginia de Oliveira disse...

Quando li o título do livro não fiquei interessada em lê-lo mas quando li sua resenha minha opinião mudou completamente, também gosto muito de livros sobre amizade e pelo que você escreveu o autor consegue escrever sobre assuntos sérios sem cair nos dramas desnecessários e eu realmente gosto disso.
Obrigada pela resenha.
Bjs!

Livreando disse...

Já tinha visto esse livro mas nunca parei para ler uma resenha dele. A história é totalmente diferente do que pensava, completamente na verdade.
Pensava que era algo com o gênero policial. Que bola fora, hein! kkkk. Estava completamente enganada.
Amei a dica e o livro já conquistou um lugar na minha lista interminável.

Bjim, Mari.

Tammy - Livreando

Agathangel disse...

Nossa a sinopse já prende a pessoa, não conhecia o livro, mas sua resenha colocou em minha aquela curiosidade... Deve ser dificil ter uma vida assim como a dele, mas acho interessante como ele faz laços de amizade.... Curiosa com certeza!

Pri ;*
http://closettgarden.blogspot.com.br/

Sil disse...

Essa é a primeira resenha que leio desse livro. E você me convenceu. Já coloquei na minha lista de futuras leituras.

Blog Prefácio

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Quando vi a sinopse desse livro no Skoob fiquei curiosa, mas agora fiquei super interessada. Também adoro histórias de amizade, Mari. E saber que essa mescla diversão e seriedade acrescenta muitos pontos. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Lucas disse...

Olá,
Sinceramente preciso dizer obrigado pela resenha. Já tinha interesse por este livro e até então não tinha lido nenhuma resenha. Aí vem sua resenha e confirma que eu realmente devo ler o livro. Parabéns!

Lucas - Carpe Liber
http://livrosecontos.blogspot.com.br/

Bruna Monteiro disse...

Olá, Mariana!

Não é a primeira vez que eu leio comentários a respeito deste livro, a maioria das pessoas falam muito bem dele, mas ainda não tive tempo de conferir, já que comecei algumas leituras que estavam pendentes e ainda tenho uma grande lista com vários e vários outros livros que pretendo ler. Adorei a sua resenha sobre o livro e assim que agilizar as minhas leituras, lerei com certeza.

Beijos!

Giulia Ladislau disse...

O 1º parágrafo me lembrou logo de Joseph Climber. rsrsrs Mas dpeois continuei e percebi que o livro é bem mais profundo do que aparenta. Só me lembro de 1 livro sobre eutanásia, mas o Sparks romantizou demais ele... =/ Fiquei bem curiosa e interessada.
Beijinhos!
Giulia - Prazer, me chamo Livro

Lara Lange disse...

Olá!
Então, já tinha lido alguma coisa a respeito da obra, mas nada muito empolgante. Ao ler sua resenha, que fico ótima diga-se de passagem, me animei. Leio e gosto muito de romances, mas as vezes ler sobre amizades é muito mais animador! A fila de leitura está imensa... mas tenho certeza que no futuro este livro estará nessa lista! :)

um beeijo Lara
http://meusmundosnomundo.blogspot.com.br/

Letícia Souza disse...

Oiee
Cada vez é mais difícil encontrar bons livros que não se foquem em romance então esse me deixou bastante intrigada ainda mais por ser um assunto relativamente diferente dos que eu estou acostumada a ler.
Gostei de um dos pontos fortes do livro ser essa grande amizade entre Alex e o Sr.Peterson e também de como o autor retratou todos esses temas de uma forma compreensível e leve,permitindo qualquer leitor entender a obra.
beijos

Lais Cavalcante disse...

Não sei se gosto do livro. Alguns pontos me deixaram curiosa, como o fato de um meteorito atravessar a casa, atingir a cabeça do menino, fazendo com que ele tenha epilepsia [ou não], história de amizade entre ele e o Sr. Peterson... mas por outro lado, não tive uma conexão com o livro [se é que me entende]. Vou adicioná-lo na minha lista, mas não vai ser prioridade rs

Nardonio disse...

Não conhecia esse livro, mas achei a história bem interessante. Gosto quando os autores misturam cenas mais palpáveis, com cenas mais absurdas possíveis. Lendo essa resenha, deu pra perceber que tem essas pitadas de humor, mas tem bastante seriedade também. Achei um grande acerto trazer uma personagem que acha que o universo conspira contra si e, se formos pensar um pouco, cada um de nós acha, ou conhece alguém que também pense isso. kkkkk

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger