sábado, 29 de julho de 2017

RESENHA: Leviatã Desperta

“— As pessoas falam sobre a guerra? — Miller perguntou.
— Com frequência — o missionário respondeu.
— Alguém vê sentido nela?
— Não. Não acredito que a guerra faça sentido. É uma loucura que está na nossa natureza. Às vezes ela persiste; outras, desaparece.” (COREY, 2017, p. 268)

Duzentos anos depois de sua expansão para o universo, a humanidade não habita apenas a Terra, mas colonizou a Lua, Marte e o Cinturão de Asteróides. Porém, as desavenças políticas e culturais criam atritos constantes entre os três centros de poder. Os ânimos se acirram quando a nave Canterburry, uma transportadora de gelo, é violentamente atacada a caminho do Cinturão. Caberá ao capitão Jim Holden e ao detetive Miller descobrir a verdade e tentar impedir uma catastrófica guerra interplanetária. 

Leviatã Desperta é o primeiro volume da série The Expanse e, como esperado, conta com um teor introdutório, apresentando ao leitor as informações deste novo e complexo mundo. Apesar deste cenário altamente tecnológico e avançado, todos os aspectos da vida no espaço são verossímeis e convincentes. 

A narrativa é extremamente fluida, o que é um aspecto vital para livros extensos. Uma de minhas preocupações era o fato de o livro ter sido escrito por dois autores — James S. A. Corey é o pseudônimo de Daniel Abraham e Ty Franck —, porém, o texto é uniforme e mantém um mesmo estilo do início ao fim. 

Outro acerto dos autores foi escolher uma dupla de protagonistas tão diferente. Holden é impulsivo, emotivo e, em certo ponto, ingênuo, enquanto Miller é racional e cético. Os choques entre estes diferentes pontos de vista são vistos durante todo o desenvolver da estória, sendo que o leitor consegue entender ambos os lados. 

Um dos fatores que mais me chamou atenção foi a complexidade da trama. O que os autores criaram, a meu ver, foi uma espécie de xadrez espacial e vemos a cada capítulo as peças se moverem e, eventualmente, caírem no gigantesco tabuleiro. Apesar dessa complexidade, em nenhum momento a leitura se tornou monótona ou cansativa. 

Também merece destaque é a mistura de diversos elementos, alguns até mesmo inusitados, mas que compõe uma estória harmônica. Quanto ao gênero, diria que a estória é uma mistura de ficção-científica e investigação policial. Apesar do texto fluído, não achei que o ritmo da estória fosse intenso o suficiente para considera-lo um thriller. 

Preciso admitir que Leviatã Desperta não me deixou com aquela empolgação que sempre espero do primeiro livro de uma série. Não me entenda mal, pois eu me envolvi com a estória e com seus personagens, sendo que a leitura foi bastante agradável. Mas fiquei com a sensação de que, ao encerrar a leitura, não senti aquele “desespero” por continuar a leitura da saga. 

Além disso, também me pareceu que o livro foi extenso demais. Ao contrário de muitos livros que já li, Leviatã Desperta não deixa o leitor com a impressão de que está sendo enrolado. Entretanto, quando encerrei a leitura, senti que a estória não era tão densa a ponto de necessitar quase setecentas páginas para ser desenvolvida. 

Somente depois que termine de ler fui pesquisar quantos livros compõe a série e me surpreendi ao descobrir que já foram lançados seis livros no exterior, sendo que o sétimo será publicado no final do ano e mais dois volumes já foram comprados. Assim, confesso que tenho dúvidas se continuarei a ler a série, pois não sei se tenho fôlego para ler mais oito livros extensos, ainda mais quando o primeiro não empolgou tanto quanto poderia. 

Título: Leviatã Desperta
Autor: James S. A. Corey
N.º de páginas: 671
Editora: Aleph
Exemplar cedido pela editora.

Comprar: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

15 comentários:

Márcia Saltão disse...

Oi, Alê!
Nossa, que série grande, hem? Já não fiquei muito motivada, pois minha lista de leitura já é extensa, nem posso pensar em séries tão grandes. E por tudo que você comentou, apesar de acreditar ser uma boa leitura, também não fiquei tão empolgada com o enredo. Mas quem sabe um dia venha a ler!
Ótima resenha.
Beijos.

Gabriela CZ disse...

Quando comecei a ler a sinopse pensei: "Mas parece o enredo de The Expanse." Aí me dei conta (e fui pesquisar) de que a série é baseada nesses livros. Não sabia disso, Alê. Gostei bastante da 1ª temporada da série (ainda não vi a 2ª), mas confesso não ter me animado pra ler os livros. Seu comentário de que o livro é maior do que precisaria, e ainda ter muitas sequências pesa muito. Mas o fato de ser bem escrito é um ponto positivo. Que sabe um dia. Ótima resenha.

Beijos!

Marta Izabel disse...

Oi, Alê!
Fiquei bem espantada com esse verdadeiro calhamaço!! Nossa e que série grande, imagine mais sete livros com mais de 600 páginas?! A estória em si parece ser bem interessante mais a enrolação na estória não é muito legal!!
Bjoss

RUDYNALVA disse...

Alê!
Gosto demais de ficção misturada a um bom mistério poliial e apesar não ver muita empolgação da sua, fiquei bem curiosa por entender toda essa trama, tipo um jogo de xadrez intergalático...
Desejo uma ótima semana!
“Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada.” (Immanuel Kant)
Cheirinhos
Rudy

Ana I. J. Mercury disse...

Oi Alê,
eu ainda não conhecia o livro, mas assim que li, "Lua e Marte colonizados", olha, francamente, eu PRECISO ler!!!
Adorei sua resenha, deu pra ver o quanto você gostou e superou suas expectativas.
bjocas

Lana Silva disse...

Confesso que não me sinto motivada por leituras de séries tão grande, sete livros, sendo que o primeiro não é tão envolvente, e nem cativa o leitor a querer continuar a leitura, confesso que de certo modo não me senti interessada por esta obra, mesmo que a estória seja bem construída, ainda sima forma como a trama e desenvolvida, não foi algo que tenha me cativado.

Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Eu até estava motivada a ler, mas vi a quantidade de páginas e livros a serem lançados... desisti porque já leio muita série.
Beijos
Balaio de Babados
Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!
Concorra ao livro Depois do Fim autografado

Monyque Evelyn disse...

Ótima resenha :D

http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

Priscilla Frasnelli Rocha disse...

Oi Alê, tudo bem?
Super entendo seu receio, afinal foram quase 700 páginas. E realmente, se a leitura não fisgou, é muito esforço seguir acompanhando a série.
Eu me senti assim com Cidade dos Ossos. Gostei do livro, mas não fiquei desesperada pra continuar lendo.
Beijos,

Priih
Infinitas Vidas

Naiara Fidelis Da Silva disse...

Lendo sua resenha eu me interessei pela história, porém fiquei com um pé atrás quando você disse que vão ser oito livros, apesar que a história me chamou a atenção e me deixou animada para ler.

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Ale! Eu gostei da premissa e a frase na parte debaixo da capa chama bastante atenção, mas se não empolgou e sendo uma série tão longa eu passo heheheheh

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Vanessa Vieira disse...

Gostei da resenha Alexandre, mas confesso que o livro não me chamou a atenção. Abraço!

www.newsnessa.com

Carolina Garcia disse...

Oi, Alê!!

Leviatã Desperta está na minha lista de desejados desde o lançamento. Hahahaha
Gostei da sua resenha e mesmo sendo um livro extenso que não te prendeu muito, eu ainda tenho vontade de lê-lo. Gosto muito de ficção científica e esse é uma série muito bem falada. Então ainda estou curiosa - mesmo que a gente desanime com séries infinitas. Hahahaha

Bjs

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Thiago Barros disse...

Oiii,
Gostei muito da resenha! Fiquei bastante curiso pra ler esse livro.

https://dosedupladeleitura.blogspot.com.br/2017/07/resenha-14-quente-feito-tequila-brendow.html

Caverna Literária disse...

Pra um livro introdutório, bota extenso nisso as quase 700 páginas mesmo. Imagina o segundo volume então, vai ter mil páginas? hahaha. Gostei bastante da premissa, da capa, e da complexidade inteligente criada pelos autores, mas acho que eu não me arriscaria em tantas páginas :(

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger